Identificação E Caracterização Do Mel Produzido Na Região Da Campanha

Carolina Ferrer Gonçalves, Estevãn Martins De Oliveira

Resumo


Introdução: O mel produzido na região da campanha é competitivo em qualidade em com a produção regional cujo mercado vem crescendo através da Casa do Mel(produtos da marca Bagé), pela Prefeitura Municipal. A quebra na produção próxima a 50% está afeta possivelmente ao inverno rigoroso, as chuvas no último ano, poluentes químicos atmosféricos da lavoura e indústrias. As perdas de enxames e floração diminuirão a produção na próxima safra. A floração diversificada pode contribuir ou não na melhoria da qualidade do mel. A indução na produção de mel tem resultado na total perda da colméia por saturação ou desgaste fisiológico das abelhas. A Casa do Mel de Bagé caracteriza o mel de acordo a Legislação, com relação à fraude ou adulteração e tipo do mel. Este estudo permitirá levantar informações para possíveis diagnósticos. Material e Métodos: Nesta etapa caracterizou-se parâmetros físicos operacionais(temperatura, pressão, umidade, tempo, flora, estação) e físico-químicos (acidez, glicídios, glicídios não redutores e redutores totais. Adulterantes: reação de Lund, pesquisa de fermentos diastásicos, reação de Fiehe, lugol, dextrinas e maltodextrinas). dos produtos disponíveis no mercado. Os métodos utilizados nas avaliações são os preconizados pela: ANVISA, FIOCRUZ e ADOLFO LUTZ. Resultados e Discussão: Amostra mel 1 = colheita 23/12/2007 (eucalipto) Amostra mel 2 = colheita 21/09/2008 (Multifloral) Amostra mel 3 =17/10/2008 (Multifloral) Amostra mel 4 = colheita 09/06/2009 (Multifloral) Amostra mel 5 = colheita junho/2009 (outono) Tabela 1: Parâmetros de umidade e índice de refração, obtidos através de refratômetro de campo comparados com os estabelecidos pela legislação da ANVISA Amostras Brix (%) Índice de Refração Resultado 1) 79,4333 1,4838 Acima 20% 2) 79,0000 1,48 Acima 20% 3) 78,7500 1,48 Acima 20% 4) 77,6666 1,48 Acima 20% 5) 76,5000 1,48 Acima 20% Tabela 2: Acidez solução normal, acidez em ácido fórmico, pesquisa de fermentos diastásicos, reação de Fiehe e reação de Lugol Amostras Acidez Solução Normal (%) Acidez Ácido fórmico (x10-³ %) Pesquisa Fermentos Diastásicos Reação de Fiehe Reação de Lugol 1) 2,440 1,1246 Positivo 2) 2,497 1,1486 Positivo - 3) 2,916 1,0653 Positivo Negativo - 4 3,121 1,4624 Positivo Negativo Negativo 5) 2,252 1,0380 Positivo Positivo Negativo Tabela 3: Contagem de cinzas sulfatizadas, cinzas insolúveis e cinzas solúveis em água de cinzas em água por cento Amostras Cinzas Sulfatizadas (%) Resíduo por incineração (%) Cinzas insolúveis em água (%) Cinzas solúveis em água (%) 4) 99,7800 99,0025 0,0633 98,9392 5) 98,627 91,6850 4,4400 87,2850 Tabela 4: Determinação cor ICUMSA Amostras Mel 25% Mel 50% Açúcar 50% 3) 3657,44 1455,41 - 4) 3387,45 2613,68 302,26 5) 1597,29 1303,31 302,26 Tabela 5: Fotometria de chama Amostras Na (ppm) K (ppm) 1) 01 102 2) 06 102 3) 0 102 4) 0 102 5) 06 102 Os valores de umidade das amostras de mel foram acima de 20%, e dentro dos padrões estabelecidos pela ANVISA (até 21%) e com IR=1,48 em média de todas as amostras. Há presença de fermentos diastásicos, existente em mel natural não aquecido acima de 45°C. O resultado foi negativo para presença de glicose comercial em todas as amostras , exceto para amostra 5. Conclusões: Os resultados parciais com cinco amostras de mel de diferentes produtores apresentaram características físico-químicas em conformidade com a legislação da ANVISA (resolução CNNPA nº12, de 1978), e dentro dos padrões de mel de mesa. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Mel, apicultura, qualidade, análises, composição

Apontamentos

  • Não há apontamentos.