Fatores Causadores Da Extinção De Novos Empreendimentos No Brasil

Aline Francisco Almeida, Mayse Karoline Zaramelo, Fátima Maria Pegorini Gimenes

Resumo


Introdução: O brasileiro é reconhecido por seu caráter empreendedor, sua criatividade para transpor obstáculos e por sua grande flexibilidade frente a dificuldades que surgem na gestão de seus negócios. Porém, simultaneamente a essa realidade verifica-se um grande percentual de extinção de empresas no país. Material e Métodos: O estudo caracteriza-se como pesquisa descritiva e exploratória, pois descreve situações em determinado espaço-tempo (MARCONI; LAKATOS, 1996). Resultados e Discussão: Anualmente surgem no Brasil milhares de novas empresas, porém a maioria encerra suas atividades antes do terceiro aniversário (PIO, 2009). As empresas surgem, crescem e começam a apresentar problemas, merecendo destaque os seguintes: falta de planejamento estratégico, escassez de capital para investimento e carência de informações precisas e ágeis sobre o negócio. Empresários fazem investimentos com capital próprio, mas não se programam para manter adequado volume de capital de giro, gerando a necessidade de captação de dinheiro no mercado através da antecipação de suas receitas futuras. Além dos inconvenientes já citados ocorre ainda excesso de centralização, falta de controles e a não utilização da tecnologia disponível. Verifica-se que a concentração de informações do negócio em uma única pessoa pode demonstrar todo seu conhecimento e controle, mas também toda a fragilidade da empresa. Qualquer problema que ocorra com esta pessoa pode resultar em sérios problemas para o empreendimento, pois ninguém mais conhece os detalhes da organização. Além disso, esta concentração é um forte limitante do crescimento das operações realizadas pela empresa. A utilização de gerenciamento e controle propicia ao gestor uma análise rápida e ampla da situação da empresa, também possibilita fazer um planejamento mais preciso baseado em dados reais (PORTAL CLIPPING, 2009). Um bom exemplo disso são os softwares de gestão, que são adequados para qualquer porte de empresa e possibilitam ao empresário administrar mais informações com mais segurança. Com a estabilidade da economia, a constante redução da taxa de juros e o incentivo governamental para a aceleração do crescimento, o momento atual é propício para as empresas brasileiras ganharem mercado a um ritmo mais forte e de forma consistente (STEFANO, 2009). Para isto é imprescindível que seja feito um planejamento bem elaborado, com objetivos claros, metas estabelecidas, com avaliação dos pontos fortes e fracos, riscos e oportunidades do negócio, projeções financeiras realistas, bem como a disponibilidade de ferramentas de gerenciamento ágeis e eficazes. No Brasil em 2005, a taxa de mortalidade das empresas que foram constituídas em 2005, foi de 22%, já no Paraná esta taxa foi de 25,2%. O Paraná ficou entre o seis estados com a maior taxa de mortalidade de empresas antes de completarem 2 anos de atividades. (SEBRAE, 2005). Conclusões: Foi constatado que entre 2006 e os primeiros medes de 2009, foi deixado um saldo positivo de 1.124 empresas em Umuarama. Para garantir a longevidade, entre outros fatores, é fundamental estar atento às oportunidades que o mercado apresenta buscando a mais adequada às características do empreendimento. Também é indispensável profissionalizar a empresa e acompanhar sua evolução para visualizar com clareza o retorno que o investimento pode gerar, bem como, os pontos falhos do negócio, aqueles que devem ser melhorados. Orgão de Fomento: UNIPAR

Palavras-chave


Mortalidade de Empresas, Empreendedorismo, Planejamento Estratégico, Longevidade de Empresas, Tecnologia

Apontamentos

  • Não há apontamentos.