Indicadores De Desempenho Em Empresas Juniores Do Rio Grande Do Sul

Mario Rezende Huezo, Katiane Rossi, Paulo Cassanego Junior

Resumo


Introdução: O artigo tem como objetivo conhecer a realidade das empresas juniores filiadas à Federação de Empresas Juniores do Rio Grande do Sul - FEJERS, entendendo este fato como sendo a forma que essas são geridas, natureza e objetivos de criação deste projeto, sua forma de vinculação e relacionamento com a universidade, quais as práticas de prestação de contas à comunidade acadêmica, assim como os indicadores de desempenho utilizados para medir o trabalho que vem sendo realizado. Material e Métodos: Para compreender qual o grau de desempenho das Empresas Juniores filiadas à Federação de Empresas Juniores do Rio Grande do Sul, optou-se por realizar um questionário no modelo likert junto aos presidente das Empresas Juniores filiadas à federação. Também foram aplicadas outros dois grupos de questões com perguntas dissertativas, para conhecer os objetivos organizacionais e conhecer a relação entre a Empresa Júnior e o curso/departamento em que a mesma está vinculada.O questionário em likert foi dividido em quatro partes, para analisar o grau dos indicadores da perspectiva financeira, indicadores da perspectiva dos clientes, perspectiva de processos internos e por último, as perspectivas de aprendizado.As perguntas dissertativas procuram conhecer os objetivos organizacionais e como é entendido o relacionamento entre a Empresa Junior e o curso/departamento em que a mesma está vinculada. Resultados e Discussão: Dentro da perspectiva financeira, foi analisado que poucas empresas avaliam fatores como relações externas e crescimento sustentável, no entanto tais fatores são, de certa forma importantes para o desempenho das Empresas Juniores, e ainda assim são pouco mensurados.Já, na perspectiva dos clientes grande parte respondeu que não avalia fatores como confiança e reconhecimento. No entanto avalia a qualidade de serviços e número de clientes.Nos indicadores da perspectiva de processos internos grande parte não avalia a produção média por funcionário, no entanto avaliam o tempo de resposta dos clientes e procuram aumentar o número de parcerias, indicando a busca por novos mercados.Diante da perspectiva de aprendizado, também não são avaliados a participação e o comprometimento, o que leva a entender que a expectativa por resultados é falha a respeito aos colabores da EJ.As respostas dissertativas foram muito variadas, alternando desde ética até comprometimento, como valores da organização. Conclusões: O Movimento Empresa Júnior é de suma importância para o desenvolvimento acadêmico, pois o aluno tem a oportunidade de colocar em prática tudo aquilo que aprende na teoria durante sua trajetória acadêmica, apresentando ao aluno práticas de diversas áreas, em sua maioria, prestação de serviços como consultoria, podendo ser implementada em grande parte dos cursos de graduação.O artigo teve como objetivo analisar os indicadores de desempenho que os gestores das Empresas Juniores filiadas à FEJERS efetuam dentro das suas organizações, dentro a perspectiva financeira, perspectiva dos clientes, de processos internos, perspectiva do aprendizado, missão organizacional e a relação entre a organização e o curso/departamento em que estivesse vinculada.Pode-se analisar que a maioria das empresas não mensuram grande parte de indicadores que permitem um maior controle na sua forma administrativa, levando a entender que há uma carência no controle de algumas destas organizações. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Indicadores de desempenho, Empresas Juniores

Apontamentos

  • Não há apontamentos.