Retratos Da Inclusão Nas Escolas De Ensino MÉdio No MunicÍpio De BagÉ-rs.

Maria Eugênia Santos Da Fontoura, Amélia Rota Borges De Bastos, Diego De Abreu Porcellis, Ana Paula Giffoni

Resumo


Introdução: O presente trabalho pretende apresentar os resultados da pesquisa que vem sendo desenvolvida pelo NEEI- Núcleo de Estudos em Educação Inclusiva, intitulada “Percepções, dificuldades e necessidades formativas dos professores de ensino médio da rede comum de ensino do município de Bagé-rs”. O estudo teve como objetivo o levantamento da realidade de trabalho dos professores da Rede Estadual de Educação do município de Bagé-rs com relação à inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais na escola regular. Dentre os aspectos investigados, o estudo buscou conhecer à existência de recursos materiais, físicos e humanos; as necessidades formativas dos docentes e as suas dificuldades em relação à educação inclusiva; e o perfil de formação dos professores. Material e Métodos: A pesquisa, de caráter quanti-qualilitativo, teve como procedimento de coleta de dados entrevistas semi-estruturadas realizadas com os professores da Rede Estadual de Educação selecionados previamente através de procedimentos estatísticos. O instrumento de coleta buscou conhecer as concepções de educação inclusiva por parte dos docentes; o perfil de formação e a atuação dos professores que atuam com alunos com necessidades educacionais especiais (n.e.e); necessidades formativas; experiências e dificuldades na ação pedagógica com alunos com n.e.e; existência de recursos físicos e materiais na escola, como acessibilidade arquitetônica, salas de recursos multifuncionais, serviços de apoio especializado, dentre outros. Resultados e Discussão: Os resultados preliminares da investigação indicam a incipiência das políticas de inclusão neste sistema de ensino. A maior parte dos participantes do estudo, 70%, mencionam falta de formação para a temática em tela e concepções de educação inclusiva centradas predominantemente na escolarização de alunos com deficiências. 80% dos docentes revelam experiências educacionais com alunos com n.e.e, indicando que as dificuldades relacionadas ao trabalho com este alunado centram-se na inexistência de recursos humanos e materiais para no trabalho, principalmente no que concerne orientação pedagógica especializada. 10% das escolas possuem recursos especializados, como rampas e banheiros adaptados, salas de recursos e professores do atendimento educacional especializado. Conclusões: Os achados preliminares indicam o necessário debate entre as escolas e as instancias administrativas no que concerne a mobilização dos recursos necessários a implantação das políticas de inclusão. Além disso, sugerem outras interlocuções que podem ser feitas, como, por exemplo, a aproximação da Escola da Universidade, através da constituição de espaços colaborativos de formação sobre o tema. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Educação inclusiva, Professores, Alunos, Ensino-aprendizagem, Preparação

Apontamentos

  • Não há apontamentos.