Os Dispositivos Pedagógicos Dos Livros/manuais Para A Educação Da FamÍlia: Como Conduzir A Conduta Dos Adultos Diante Da Educação Sexual E Manifestação De Sexualidade De Crianças E Adolescentes (1930 A 1985).

Patricia Padial Kley, Constantina Xavier Filha

Resumo


Introdução: Objetivou-se através deste trabalho, a realização de uma pesquisa teórica, visando fazer um levantamento de obras produzidas entre 1930 e 1985 com a temática sexualidade e educação sexual para crianças e adolescentes. Pretendeu-se refletir sobre os discursos veiculados e produzidos em manuais de Puericultura, que indicam qual deve ser a conduta ideal de adultos, preferencialmente as mães, que possuem o papel de educar e cuidar das crianças, segundo alguns autores e autoras, principalmente no que diz respeito a sexualidade e nas relações de gênero. O presente trabalho fundamenta-se nos estudos de Gênero e pressupostos foucaultianos. Para tanto, foram selecionados quarenta manuais de Puericultura publicados entre as décadas de 1930 a 1985 na língua portuguesa do Brasil e de Portugal, cujo objetos de estudo são, a destacar: as concepções de ensino-aprendizagem que os (as) autores(as) apresentam, os discursos produzidos e veiculados nos manuais, o conceito de gênero, conceito de família, conceito de sexualidade e conceito de educação sexual. Tais manuais foram selecionados em bibliotecas de Universidades brasileiras a partir de palavras-chaves relacionadas à sexualidade e ao gênero. O presente trabalho é parte de uma pesquisa mais ampla intitulada "Já é tempo de saber...: a construção discursiva da educação sexual em manuais e em livros infanto-juvenis 1930 e 1985, financiada pela FUNDECT/MS". Material e Métodos: Para compreendermos quais os discursos que são produzidos nos manuais e qual o motivo dele ser produzido, citaremos a seguir cinco concepções de ensino-aprendizagem distintas entre si. A primeira concepção a ser explicitada é a concepção Inatista, a segunda é conhecida como Empirismo, a terceira é Interacionismo (cognitivismo), quarta Histórico-cultural (sócio-interacionismo) e por fim a quinta é conhecida como Ambientalismo. Resultados e Discussão: Os manuais de Puericultura possuem uma característica peculiar em sua escrita. Segundo Xavier Filha (2007), os enunciados de tais manuais veiculam e produzem discursos de saber-poder fundamentados em ciências biológicas, médicas, psicológicas e pedagógicas. A linguagem é impositiva, normativa e prescritiva, constituindo assim um dos elementos fundamentais deste dispositivo pedagógico. A criança é tomada como objeto de conhecimento e passa a ser homogeneizada. Este procedimento estabelece divisões, rótulos são atribuídos e, com isso, fabrica-se a criança "normal". Qualquer característica diferente passa a ser medicada ou extirpada de acordo com regras ou normas disciplinares produzidas a partir de parâmetros de normalidade.Sabemos que o objetivo dos manuais de Puericultura é de conduzir a conduta dos adultos perante as manifestações das crianças. Portanto, destacaremos as concepções de ensino-aprendizagem que aparecem em alguns manuais. Conclusões: Pretende-se refletir nesse estudo, quais os discursos veiculados no tocante a educação e principalmente educação sexual e as questões de gênero. Como a família deve proceder perante as manifestações sexuais das crianças, quais são as concepções apontadas nos livros manuais, que em sua maioria ditam regras, normas e posturas consideradas "normais" e "aceitáveis" Orgão de Fomento: Fundect

Palavras-chave


concepções de aprendizagem, manuais de Puericultura, educação sexual.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.