Avaliação Da Qualidade De Biodiesel Obtido AtravÉs óleo De Soja Por Via EtÍlica E Avaliação FÍsico-quÍmica Do Tempo De Armazenagem.

Natália Rockenbach, Tuany Soncini Bevilaqua, Cristiane Ziech, Vanderlei Folmer, Elton Luis Gasparotto Denardin

Resumo


Introdução: A maior parte de toda energia consumida no mundo provém do petróleo, do carvão e do gás natural. Essas fontes são limitadas e com previsão de esgotamento no futuro. Nesse contexto, o biodiesel surge como uma alternativa viável, por ser obtido de fontes renováveis. Assim, o objetivo desse trabalho foi avaliar a qualidade de biodiesel obtido partir do óleo de soja comercial e armazenado por um ano, bem como caracterizá-lo segundo parâmetros físicos e químicos estabelecidos pela ANP. Material e Métodos: O biodiesel foi obtido a partir do óleo de soja comercial, através da reação de transesterificação via rota etílica. Foram utilizadas 60 g de etanol, 2 g do catalisador hidróxido de potássio e 200 g do óleo de soja, misturadas e mantidas em agitação por 90 minutos, à 25 °C e 500 rpm. Após, procedeu-se a lavagem do biodiesel. O material foi acondicionado em frasco ambar a temperatura ambiente por um período de um ano.Quanto à caracterização físico-química, foram realizadas três análises conforme metodologia abaixo, todas em triplicata: Índice de acidez: 2g da amostra, 25 mL de solução éter-álcool 2:1 e 2 gotas de fenoftaleína. Titulou-se com uma solução de hidróxido de sódio 0,1N até a coloração rósea.Índice de saponificação: 2 g da amostra e 20 mL de solução alcoólica de hidróxido de potássio 4 por cento. Em um condensador de refluxo a mistura foi aquecida até ebulição branda por 30 minutos. Após, adicionou-se 2 gotas de fenoftaleína e titulou-se com ácido clorídrico 0,5N até o desaparecimento da cor rósea.Teor de ácidos graxos livres: 5g da amostra, 50 mL de álcool etílico 95 por cento e 0,5 mL de solução etanólica de fenoftaleína a 1 por cento. A mistura foi aquecida até ebulição e titulada com hidróxido de sódio 0,1N até o aparecimento da cor rosa. Resultados e Discussão: A reação de transesterificação nos forneceu um total de 247,03g, sendo que 217,16g corresponderam ao biodiesel e 29,85g aos resíduos, indicando um rendimento de 87,91 por cento. As perdas foram de 12,09 por cento, as quais podem ser reduzidas com a recuperação do etanol e da glicerina formados.O índice de acidez, que determina de conservação dos óleos e gorduras, foi de 3,7575 mg de NaOH/g, sendo que o valor estabelecido para o biodiesel tem como limite 0,80 mg NaOH/g.O índice de saponificação foi de 137,62 mg NaOH/g, indicando encontra-se nos parâmetros estabelecidos: 133 a 200 mg NaOH/g.O teor de ácidos graxos livres foi de 2,59 por cento e o valor estabelecido está em torno de 0,13 por cento. Conclusões: O processo utilizado é uma metodologia bastante testada e divulgada e a partir dela obteve-se o biodiesel de soja com uma eficiência considerável. Quanto aos parâmetros físico-químicos, avaliados através dos limites estabelecidos pela ANP, verificou-se que o índice de saponificação se mostrou adequado para a produção do biodiesel. Porém, o índice de acidez e o teor de ácidos graxos livres tiveram valores muito além dos limites. Esse fato explica-se pelo tempo decorrido entre a produção do biodiesel e a realização das análises, sendo que a temperatura, bem como outros fatores externos podem ter influenciado na qualidade do biodiesel. Além disso, sabe-se que os ácidos graxos são constituintes dos óleos, e uma alta porcentagem de ácidos graxos livres indica que o produto está se deteriorando. A principal conseqüência é um aumento, também, na acidez da amostra. Estudos posteriores deverão ser efetuados a fim de identificar outras alterações na constituição e efeitos como temperatura, umidade e condições de armazenamento. Orgão de Fomento: Unipampa

Palavras-chave


biodiesel, biocombustíveis, análise físico-química

Apontamentos

  • Não há apontamentos.