AnÁlise Do Perfil Das Mulheres Que Sofrem De Tensão PrÉ-menstrual (tpm) Em Relação Aos Sintomas E A PrÁtica De ExercÍcios FÍsicos No MunicÍpio De Uruguaiana - Rs

Miriam Raquel De Freitas Monteiro, Lúcio André Brandt

Resumo


Introdução: A mulher no decorrer dos anos ganhou espaço em todos os setores da sociedade e sua qualidade de vida tornou-se questão de saúde pública, devido à importância na representação de diferentes papéis e ao acúmulo de funções e de responsabilidades. Em decorrência disso, a figura feminina de hoje, sente a necessidade de ser dinâmica, mais forte, mais flexível, mais paciente, isto gera tensão e estresse, agravado por um problema mensal e recorrente, a Tensão Pré-Menstrual (TPM), cujos inúmeros sintomas psicológicos e físicos causam incômodo e influenciam negativamente nos relacionamentos interpessoais, familiares e de trabalho. A partir destas informações, surgiu o interesse de analisar o perfil das mulheres que sofrem com este problema considerando além dos sintomas, a prática ou não de exercícios físicos, bem como se através dos mesmos pode ocorrer uma amenização dos sintomas, tanto físicos quanto psicológicos. Material e Métodos: Trata-se de uma pesquisa de caráter descritivo e de corte transversal, realizada no Município de Uruguaiana – RS. A amostra é composta de 113 mulheres, com idades entre 18 e 45 anos, sendo que, destas, 93 sofrem de Síndrome da Tensão Pré-Menstrual e 20 não sofrem, 71 praticam exercícios de forma regular e 42 não são praticantes. Para a coleta de dados foi utilizado um questionário composto por questões abertas e fechadas e os dados foram analisados em relação às mulheres praticantes e não-praticantes de exercícios físicos. Resultados e Discussão: Dentre os resultados podemos destacar que: 71,8% das mulheres que praticam e 76,2% das que não praticam utilizam método contraceptivo, sendo que a pílula foi o método mais citado por 63,4% das praticantes e 64,3% das não-praticantes; 53,5% das mulheres que praticam e 54,8% das mulheres que não praticam apresentam TPM, porém a mesma não influencia na rotina diária; o período do dia no qual os sintomas são mais freqüentes foi a noite, apontado por 46,5% das praticantes e 40,5% das não-praticantes; em relação a libido (desejo sexual) 23,8% das não-praticantes afirmaram que a mesma reduz, enquanto que apenas 9,9% das praticantes afirmaram reduzir; as mulheres que praticam exercícios afirmaram que 63,4% dos sintomas físicos e 70,4% dos sintomas psicológicos diminuem com prática, e dentre as modalidades a musculação apresentou 75% de redução dos sintomas físicos e 87,5% dos sintomas psicológicos, e a caminhada 72,7% dos sintomas físicos e 63,6% dos sintomas psicológicos, no entanto as mulheres que praticam cinco vezes por semana ou mais, apresentaram a maior redução dos sintomas físicos e psicológicos, 73,1%. Conclusões: Portanto, através dos dados foi possível analisar o perfil das mulheres que sofrem de TPM, em relação aos sintomas e a prática ou não de exercícios físicos, os resultados não apresentaram diferenças significativas, entretanto as mulheres praticantes afirmaram que notam a redução dos sintomas físicos e psicológicos quando praticam de forma regular, sendo que de acordo com os dados a prática necessita de uma freqüência acima de quatro vezes na semana. A pesquisa apresenta uma realidade relevante, visto que a Educação Física é composta de uma diversidade grande de áreas, e a prática de exercícios físicos orientados para mulheres com TPM, podem auxiliar na redução dos sintomas, contribuindo para a manutenção e promoção de qualidade de vida para as mesmas. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Mulheres, Tensão Pré-menstrual, Exercícios

Apontamentos

  • Não há apontamentos.