Diferença Do NÍvel De Satisfação E Participação E Locais De Dores Entre Os Diferentes Setores Hospitalares

Liziane Cardoso Schmitz, Lúcio André Brandt

Resumo


Introdução: Dentro das empresas, o programa de ginástica laboral tem como objetivo, realizar este resgate da importância do movimento humano e proporcionar um espaço para ações e reflexões relacionadas à saúde e a qualidade de vida dos colaboradores. . Esta pesquisa tem como objetivo, analisar se á diferença entre os setores hospitalares em relação à satisfação, participação e locais de dores. Material e Métodos: O presente estudo caracteriza-se por ser uma pesquisa experimental, quantitativa, qualitativa e longitudinal. A amostra foi constituída por 213 colaboradores, sendo 49 do sexo masculino e 164 do sexo feminino, distribuídos em dois setores e em três turnos. O instrumento utilizado foi um questionário fechado idealizado pelos participantes da pesquisa. Foi desenvolvido um projeto de ginástica laboral no hospital santa casa de caridade de Uruguaiana onde foram realizadas três avaliações de junho de 2008 a fevereiro de 2009, as atividades eram desenvolvidas de uma a três vezes por semana, com duração entre doze a quinze minutos, divididas em alongamentos, massagem e dinâmicas de grupo. O tratamento estatístico dos dados qualitativos foi realizado através de freqüência dos dados absolutos e relativos. Resultados e Discussão: . Em relação ao número de sessões houve um acréscimo da primeira avaliação para a terceira nos dois setores, o setor 1 de 25,6% que realizavam duas e três sessões passaram a realizar 58,3%, no setor 2 de 20% houve um acréscimo para 57,7%.Com relação a Sensação Física dos colaboradores o setor 1 apresentou uma acréscimo da primeira avaliação para a terceira de 84,5% para 95,8% que consideram estar entre “Ótima” ou “Boa”, no setor 2 houve um acréscimo de 88,9% para 93,3% que consideram estar entre “Ótimo ou Boa”. Na avaliação da disposição dos colaboradores para o trabalho os dois setores apresentam um aumento da primeira avaliação para a terceira avaliação, no setor 1 de 35,7% para 54,2% e no setor 2 de 37,8% para 51,1% que consideram “Boa” sua disposição para o trabalho. O setor 1 avaliou o ambiente de trabalho antes e depois das sessões de Ginástica Laboral, antes das sessões 31,5% e depois das sessões 38,1% considerou como “Ótimo” o ambiente de trabalho. No setor 2 ocorreu uma índice maior em relação ao ambiente antes e depois das sessões de Ginástica Laboral de 37,8% para 57,8% que avaliam como “Ótimo” o ambiente de trabalho. Quanto ao incentivo dos superiores nas sessões de Ginástica Laboral o Setor 1 obteve um aumento maior da primeira avaliação para a terceira avaliação, de 29,8% para 55,4% que afirmam que “Quase Sempre” são incentivados pelos seus superiores. Em relação a dores ou desconforto durante a jornada de trabalho, no setor 2 ocorreu uma redução do índice de colaboradores que sentem “Freqüentemente”de 24,4% para 20,0%, no setor 1 o índice permaneceu o mesmo da primeira para a terceira avaliação. Na avaliação do local de maior incidência de dores os dois setores apresentaram a mesma região, com 41,1% para o setor 1 e 35,6% para o setor 2 a região do pescoço e costas apresenta maiores problemas a serem trabalhados nas aulas de ginástica laboral. Conclusões: Concluímos através dos dados que o programa de ginástica laboral hospitalar apresentou resultados positivos analisando a primeira avaliação e a última avaliação nos diferentes setores em relação à participação nas sessões, disposição para o trabalho, melhora do ambiente depois das sessões, incentivo dos superiores em relação à prática. Os locais de incidência de dores não diferem de um setor para o outro. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Ginástica Laboral, Hospital, Saúde

Apontamentos

  • Não há apontamentos.