A Influência Da GinÁstica Laboral Hospitalar Na Flexibilidade De Seus Colaboradores

Liziane Cardoso Schmitz, Lúcio André Brandt

Resumo


Introdução: Nas atividades diárias realizamos vários movimentos, as articulações necessitam se mover com facilidade para que as pessoas não sofram dores e redução da amplitude articular (Achour Júnior 2004). O profissional deve planejar exercícios de forma progressiva respeitando os limites de cada colaborador. A ginástica laboral consiste em exercícios de alongamentos, fortalecimento muscular, relaxamento e auxilia na melhora da flexibilidade que é considerada uma habilidade ao mover articulações realizando movimentos de amplitude (Mendes e Leite 2008). Material e Métodos: Esta pesquisa objetiva verificar a influência da ginástica laboral na flexibilidade dos colaboradores do hospital da santa casa de caridade de Uruguaiana. Esta pesquisa se caracteriza por ser uma pesquisa experimental, quantitativa e longitudinal, sua amostra é constituída de 145 colaboradores sendo 36 do sexo masculino (24,8%) e 109 do sexo feminino (75,7%), foram realizadas três avaliações de junho de 2008 a fevereiro de 2009 as atividades eram desenvolvidas de uma a três vezes por semana, com duração entre doze a quinze minutos, divididas em alongamentos, massagem e dinâmicas de grupo os colaboradores estão distribuídos em 24setores, para a analise dos dados os setores foram classificados em dois grupos baseado nas características de trabalho. Resultados e Discussão: Na classificação do grupo 1 estão térreo, urgência e os andares, no setor 2 estão o administrativo e os exames. Foi aplicado o teste de sentar e alcançar e o teste de mobilidade de ombros e um questionário com questões fechadas, elaborado e testado pelos participantes da pesquisa. Os dados quantitativos foram testados em relação a sua normalidade, através do teste de Kolmogorov Smirnov. Foi realizadas comparações entre os sexos, setores e números de sessões que os colaboradores realizavam a ginástica laboral. Efetuou-se a estatística descritiva através de médias, e desvios-padrão. Para comparação entre os grupos foi utilizado o teste t de student para amostras independentes. Foi adotado o índice de significância de 0,05 e utilizado o programa estatístico SPSS v.12.0. Em relação flexibilidade no de sentar e alcançar o setor 1 apresentou um aumento de 2,5cm nas avaliações de 23,7cm para 26,2cm nos colaboradores do sexo masculino e que realizam 2sessões na semana. No setor 2 houve um aumento de 4,2cm da flexibilidade no teste de sentar e alcançar de 20,6cm para 24,8cm com os colaboradores do sexo feminino e que realizavam 3 sessões na semana. No teste de mobilidade de ombro o setor 1 apresentou um aumento de 0,87 cm na comparação da primeira para a terceira avaliação de 1,13cm para 2,0cm do manguito direito do sexo masculino que realizam 3 sessões na semana e um aumento de -2,cm na comparação de -2,1cm para -0,1cm para o sexo feminino que realizam 3sessões na semana. No manguito esquerdo houve um aumento de -3,8 cm para o sexo masculino que realiza 3 sessões na semana, de -4,3cm para -0,5 cm e um aumento de -1,7cm para o sexo feminino de -6,4 cm para -4,7 cm. O setor 2 obteve um acréscimo maior que o setor 1 apenas no manguito esquerdo do sexo masculino e feminino que realizam 2vezes na semana, para o sexo masculino houve um acréscimo de -1,0cm na seguinte avaliação -4,0 cm para -5,0cm e no sexo feminino manteve a mesma medida -5,0 cm para -5,0 cm. Conclusões: Concluímos que é necessário um trabalho com mais intensidade para apresentar uma influência significativa nas sessões de ginástica laboral hospitalar. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Ginástica Laboral, Flexibilidade, Saúde

Apontamentos

  • Não há apontamentos.