Refletindo A PolÍtica Nacional De Humanização Nos Serviços De Saúde

Kátia Cilene Ferreira Pacheco, Eleine Maestri, Neila Santini De Souza, Erica Sessa Do N. C. De Souza, Fernanda Vurvopólos Guimarães

Resumo


Introdução: Entre os principais objetivos do Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar inclui-se modernizar as relações de trabalho no âmbito dos hospitais públicos, tornando as instituições mais harmônicas e solidárias, de modo a recuperar a imagem pública dessas instituições junto à comunidade (BRASIL, 2001). O grande desafio de tais ações e programas é a implantação das propostas não apenas como uma normativa imposta hierarquicamente. Acredita-se que os sujeitos envolvidos neste processo devam estar mobilizados para a transformação da realidade, abertos para uma relação subjetiva. Portanto, é indispensável apontar caminhos para uma nova maneira de entender e sentir a realidade, não priorizando apenas o tecnicismo, propondo um cuidado humanizado, fazendo com que os trabalhadores voltem mais sua atenção aos usuários, estando presente, trazendo segurança, diminuindo seus anseios e valorizando o ser humano. Sendo assim, traçou-se como proposta de extensão promover a subjetividade na relação entre trabalhadores e usuários no ambiente hospitalar da Santa Casa de Uruguaiana. Material e Métodos: O projeto de extensão está sendo desenvolvido no período de outubro a dezembro de 2009, com a parceria entre a universidade e o departamento de educação continuada da Santa Casa de Caridade de Uruguaiana. Participam da proposta vinte e quatro trabalhadores de diferentes áreas de formação e atuação no hospital. A metodologia utilizada são discussões em grupo, semanais com duração média de noventa minutos. Os temas das discussões são: resgate do conhecimento prévio dos participantes sobre a humanização, Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde, reflexões sobre o fluxograma das relações interpessoais na instituição, levantamento das fragilidades e potencialidades para a humanização da assistência hospitalar e elaboração de estratégias de humanização. Resultados e Discussão: Ao ser resgatado o conhecimento prévio que os participantes possuem sobre a humanização foram identificadas quatro categorias temáticas como resultados parciais. "O estresse diário torna as ações mecanizadas"; a sobrecarga de atividades do dia-a-dia foi citada como desencadeante de estresse que repercute diretamente na relação com as pessoas no âmbito familiar e profissional. "O déficit de comunicação entre os setores reflete no atendimento aos usuários"; a comunicação entre os setores por vezes é conturbada, tornando a resolução morosa, o usuário insatisfeito e o funcionário que está diante do usuário alvo de queixas e reclamações. "As relações interpessoais entre os trabalhadores e seus familiares pode ser afetada pelas situações vivenciadas no serviço"; os profissionais concentram suas energias e atenção prioritariamente às atividades profissionais demonstrando-se cansados e impacientes para as relações familiares. Acreditamos que as discussões em grupo fundamentadas na educação dos participantes oportunizarão que os trabalhadores se posicionem como protagonistas da humanização nos serviços de saúde, criando fontes alternativas de solução pelos indivíduos envolvidos no contexto. Conclusões: Concluímos que esta proposta possui espaço e aplicabilidade em diferentes momentos para aprofundamento da temática e que outros cenários podem ser beneficiados. Assim, cabe a universidade persistir na difusão do conhecimento e principalmente na promoção da cidadania de toda a população, sejam eles trabalhadores ou usuários dos serviços de saúde. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Humanização, Educação, saúde, Equipe

Apontamentos

  • Não há apontamentos.