Panorama Da Hepatite C Na Cidade De Uruguaiana Rs Brasil- Dados Parcias

Rafaella Fragoso Oliveira, Maria Del Carmen Braccini, Adriana Kirchhof Tamayo

Resumo


Introdução: As hepatites virais são doenças causadas por diferentes agentes etiológicos, que tem em comum o hepatotropismo, apesar de possuírem semelhanças do ponto de vista clinicolaboratorial, apresentam importantes diferenças epidemiológicas quanto à sua evolução. A hepatite C vem sendo estudada há mais de 10 anos, porém nesta última década, houve uma avanço significativo no entendimento de sua epidemiologia, modo de transmissão, patogênese, diagnostico e terapêutica. O objetivo deste estudo está sendo inicialmente, traçar um panorama da infecção por hepatite C na cidade de Uruguaiana no período de 2001 a 2008, considerando aspectos epidemiológicos como: número notificado de casos de hepatite C, faixa etária, sexo e provável fonte de infecção. Material e Métodos: A metodologia utilizada foi através de um levantamento retrospectivo e documental dos portadores do VHC, retirado de dados estatísticos dos arquivos do setor epidemiológico do Centro de Saúde Municipal de Uruguaiana RS, entre os anos 2001 a 2008. Resultados e Discussão: Os dados foram obtidos a partir de levantamento fornecido pela Secretaria de Vigilância epidemiológica da Saúde, os resultados apontam que foram notificados 276 casos de infecção de hepatite C no período de 2001 a 2008. A faixa etária mais acometida foi entre os 40 e 60 anos de idade, com predomínio para o sexo masculino. No ano de 2005 e 2006 houve um declínio no número de notificações não há um registro especifico mas foi por prováveis campanhas. Já em 2008 o número aumentou sem fazer campanha, pois houve investimento em informação e acesso ao diagnóstico. Na maioria dos casos o indivíduo não aponta com clareza a forma de contágio da doença. Este fato deve-se que existe uma variedade de forma de transmissão, seja pelo uso de drogas endovenosas, compartilhamento de seringas, transfusão de sangue, por tatuagens e tratamento dentário em que o material não é bem esterilizado. A infecção geralmente é assintomática, lentamente progressiva. Conclusões: A realidade constatada em Uruguaiana é semelhante à maioria dos municípios brasileiros, ou seja que existe muito ainda a se fazer. Desta forma, espera-se contribuir para desenvolver ações de prevenção e promoção à saúde, estimulando o trabalho de vigilância epidemiológica e sanitária, bem como garantir o diagnóstico e tratamento adequado e continuado da hepatite C. Sendo assim acredita-se que com a obtenção centralizada dos dados relacionados à hepatite C, facilitará o bom desempenho ao mesmo tempo em que a procura dos portadores de hepatite C, dispondo-se de um centro especifico para tratamento e informações sobre esta doença levará a um maior comprometimento seja no tratamento ou como medidas preventivas para evitar esta doença, promovendo a boa qualidade da saúde destes portadores do VHC e também de toda a população de Uruguaiana.. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Hepatite C

Apontamentos

  • Não há apontamentos.