A Prevalência Do Respirador Bucal E Sua Influência Na Postura Do Escolar.

Felipa Elzira Melgarecho Bassante, Marcia Helena Dos Santos Cardoso, Daniela Freitas Da Costa, Maylana Comaru Pereira, Gilnara Da Costa Corrêa Oliveira

Resumo


Introdução: Este trabalho foi realizado na disciplina de fisioterapia na saúde do escolar com estudantes da 1ª série da escola de ensino fundamental Dom Bosco, no município de Uruguaiana com a participação dos pais e professores;visando identificar crianças na faixa etária de seis a sete anos possíveis respiradores bucais, com alterações posturais resultantes dessa respiração oral.Os distúrbios da oclusão descompensam o sistema tônico postural desequilibrando o sistema estomatognático. A preocupação com a postura resulta da consciência de que todas as partes do corpo são interligadas se não houver equilíbrio ou se os sistemas biológicos não estiverem executando as funções adequadamente haverá uma desestruturação da cadeia postural.A atuação do fisioterapeuta conjuntamente com o otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, pediatra, educador físico e professores para um diagnóstico precoce é importante, uma vez que a respiração oral ocasiona vários distúrbios fisiológicos cognitivos emocionais posturais e dor.O objetivo desse estudo foi informar aos pais e comunidade sobre o que é um respirador bucal, bem como identificar através de questionário possíveis alunos respiradores bucais, aplicar testes afim de confirmar o distúrbio respiratório e avaliar alterações posturais decorrentes da má respiração.Esse trabalho justifica-se pela importância do diagnóstico precoce uma vez que a respiração oral ocasiona vários distúrbios fisiológicos, cognitivos, emocionais, posturais e dor. Material e Métodos: A metodologia aplicada baseou-se no estudo de caso e foram utilizados os seguintes instrumentos: Questionário para pais e professores, um termo de consentimento assinado pelos pais ou responsáveis em duas vias, testes específicos, fotos, fôlder explicativo sobre a Síndrome do Respirador Bucal. Trinta e um questionários foram respondidos e devolvidos, dezesseis junto com o termo de consentimento dezesseis crianças foram avaliadas entre seis e sete anos de idade no dia 10/07/2009. Dessas dezesseis crianças: dez do sexo feminino seis do sexo masculino Resultados e Discussão: Resultados: Apresentaram as seguintes características de um respirador bucal, muita sede: 62,5 por cento, toma água ao acordar a noite: 43,75, utiliza-se de líquidos para comer: 81,25, ronca: 62,5, baba: 43,75, falta de ar ao dormir: 6,25, boca aberta ao dormir: 68,75, terror noturno: 12,5, pesadelos: 12,5, fala dormindo: 50, range os dentes: 25, não concluíram o teste da água: 81,25 algumas crianças ficaram ofegantes durante o teste, usaram chupeta: 81,25, cabeça anteriorizada: 75, assimetria em relação ao solo: 99. Na avaliação pedagógica alguns pais responderam no lugar dos professores sendo Ansioso: 62,5, impulsivo: 43,75, claustrofóbico: 6,25, hiperativo: 12,5, sonolento: 6,25, dificuldade de concentração, 31,25. Conclusões: Concluímos que todas as crianças apresentaram características do respirador bucal e/ou alterações posturais sendo necessário a realização de exames clínicos para comprovar a origem da má respiração, confirmando a síndrome do respirador bucal. Elaborar um programa de tratamento fisioterapêutico é necessário para corrigir e tratar as alterações posturais dos alunos da escola de ensino fundamental Dom Bosco. Realizar palestras para orientar os pais, educadores e responsáveis é imprescindível para que os distúrbios posturais e respiratórios sejam identificados precocemente, diminuindo assim as alterações futuras que possam interferir na qualidade de vida e saúde dos escolares. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


alterações posturais, respirador bucal, saúde, escolares

Apontamentos

  • Não há apontamentos.