FamÍlia Loranthaceae D. Don. No Rio Grande Do Sul, Brasil

Jordana Caroline Nagel, Andréa Cristiane Fischborn, Cláudio Vinícius De Senna Gastal Jr.

Resumo


Introdução: Loranthaceae é a maior família da ordem Santalales. É formada por 73 gêneros e cerca de 900 espécies que ocorrem predominantemente nas regiões tropicais. Popularmente são conhecidas como "erva-de-passarinho", devido a dependência das aves como agentes dispersores. São hemiparasitas, vivendo sobre os ramos de outros vegetais, dos quais invadem o xilema retirando água e nutrientes por meio de raízes sugadoras ou hautórios. Apesar de realizar fotossíntese, a sua presença e dependência mecânica de árvores suportes, pode levar a diminuição no crescimento, causar danos a reprodução ou até mesmo a morte dos hospedeiros. Material e Métodos: Na literatura, a região sul do Brasil tem registro da presença de quatro gêneros de Loranthaceae (Psittacanthus, Struthanthus, Ligaria e Tripodanthus). Neste trabalho, foi realizado o levantamento da Família Loranthaceae no Estado do Rio Grande do Sul, a partir de exsicatas depositadas nos principais herbários do Estado (HDCF, ICN, PACA, SMDB, HAS, UNISC, HBEI). As descrições das espécies foram estabelecidas através de bibliografias específicas, chaves de identificação, dados obtidos em observações, mensurações do material herborizado, informações adicionais de natureza ecológica, ilustrações e distribuição geográfica das espécies da família Loranthaceae no Estado. Resultados e Discussão: Após a revisão nos herbários, obteve-se como resultado cinco gêneros e dez espécies da Família Loranthaceae: Ligaria cuneifolia (Ruiz et Pav.) Van Thieg., Phrygilanthus acutifolius (Ruiz et Pav.) Eichl., Phrygilanthus cuneifolius (Ruiz et Pav.) Eichl., Phrygilanthus eugenioides (HBK) Eichl., Psittacanthus cuneifolius (Ruiz et Pav.) Eichl., Struthanthus flexicaulis Mart., Struthanthus polyrhizus Mart., Struthanthus staphylinus Mart., Struthanthus uraguensis (Hook. & Arn.) G. Don, Tripodanthus acutifolius (Ruiz et Pav.) Tiegh. A lista florística resultante da pesquisa indica uma diversidade relativamente alta de espécies da Família Loranthaceae no Estado, quando comparada às citadas para a região Sul do Brasil. Conclusões: Este trabalho deixa clara a necessidade de estudos florísticos e taxonômicos mais aprofundados, em vista da diversidade e freqüência com que a família é encontrada em vários ambientes. E principalmente na tentativa de sua preservação e manejo, mesmo sabendo que esta, prejudica seus hospedeiros. Preservá-la trará pontos positivos, pois diminuirá o risco de sua extinção, e conseqüentemente, continuarão os benefícios em relação ao seu uso medicinal e da simbiose: "erva-de-passarinho" x pássaros. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Loranthaceae, hemiparasita, herbários, esxicatas, Rio Grande do Sul

Apontamentos

  • Não há apontamentos.