Avaliação Da Qualidade Da Água AtravÉs Dos Macroinvertebrados Bentônicos De Dois Arroios Urbanizados, Na Cidade De Uruguaiana, Rs, Brasil.

Andriélli Vilanova De Carvalho, Luis Roberval Bortoluzzi Castro, Enrique Querol

Resumo


Introdução: Os ecossistemas aquáticos vêm sofrendo impactos causados por processos de urbanização, que proporcionam um risco na saúde e integridade desses mananciais. Assim, este estudo visa avaliar a qualidade da água em dois arroios (Salso de Baixo e Salso de Cima) na cidade de Uruguaiana-RS, através da fauna de macroinvertebrados bentônicos. Material e Métodos: No inverno (2009), com auxílio de um coletor tipo Surber foram amostrados seis (06) pontos sendo três para cada arroio. O material coletado foi fixado com formol 10% e conduzido ao laboratório para triagem e identificação até o menor nível taxonômico. Foi calculada a diversidade através dos índices Shannon – Wiener, Simpson e índices biológicos bmwp, bmwp-aspt. Resultados e Discussão: Para o primeiro córrego foram coletados um total de 2790 exemplares, distribuídos em 25 táxons e os mais expressivos fazem parte dos gastrópodes com as famílias hidrobiidae com 32% e ampullaridae com 28% do total, para o segundo córrego com 2437 exemplares distribuídos em 22 táxons, os dípteros foram os mais representativos com a família chironomidae com 32,1% do total. Os índices de diversidade indicaram para P1 local com mata ciliar, uma diversidade maior, já para P2 houve uma queda na diversidade devido á proximidade da área urbana, decorrente do antigo lixão, recebe despejo de esgoto e é utilizado para lavoura e pecuária onde começa a sofrer barramentos. Devido a estes barramentos, conseqüentemente o P3 que é um lugar isolado onde não há água corrente, serve como ponto de decantação da Corsan, o que acarreta na eutrofização possui menor diversidade, e é considerada uma área de alto impacto, onde eram depositados os dejetos químicos da antiga fábrica Azaléia. No segundo arroio, P4 local onde ocorrem atividades agrícolas e pastoreio, caracteriza-se por uma estabilidade na diversidade. No P5 ocorre uma queda na diversidade, porque mantém maior contato com a área urbana e ausência de mata ciliar e no P6 próximo a foz a diversidade aumenta em relação aos demais pontos devido a um isolamento da área e por possuir água corrente, maior concentração de oxigênio e menor deposição de material orgânico. Dessa forma a equitabilidade expressa que para os pontos onde há maior influência antrópica ocorre uma diminuição no número de organismos, refletindo a dominância de alguns táxons considerados resistentes perturbações, como gastrópodes no ponto 3 e dípteros no ponto 5. Sendo os dados de diversidade totalmente corroborados com o bwmp que classificou P1 com baixa qualidade da água, evidentes efeitos moderados de poluição, mas é considerada aceitável com a pontuação de 66, já o P2 e P3 aponta água muito poluída, sistema alterado com pontuação 34 e os pontos P4, P5 e P6 são consideradas águas de qualidade duvidosa, com presença de poluição e pontuação de 42-57. Conclusões: Desta forma fica comprovada a compatibilidade de ambos os índices que expressam dados precisos sobre a qualidade do ambiente evidenciando que estudos deste âmbito devem prosseguir, pois a água é o recurso natural de maior importância para humanidade. Orgão de Fomento: BPA

Palavras-chave


Qualidade da água, bmwp, Macroinvertebrados Bentônicos

Apontamentos

  • Não há apontamentos.