Borboletas (papilionoidea E Hesperioidea) Do Sudoeste Do Pampa Brasileiro, Uruguaiana, Rio Grande Do Sul (dados Preliminares).

Pamela Laiz Paré Da Rosa, Cristiano Agra Iserhard

Resumo


Introdução: A região Neotropical representa 31,4% do total da fauna de borboletas do mundo. Ocorrendo no Brasil cerca de 3.280 espécies de borboletas. No entanto atualmente para o Rio Grande do Sul são escassas as informações sobre borboletas em algumas regiões do Estado. Sendo o local de estudo pertencente ao Bioma Pampa, o único bioma brasileiro que ocorre em apenas um Estado. Material e Métodos: Até o momento, foram realizadas duas expedições a campo, nas estações de primavera e verão em cada ponto amostral no Parque Natural Municipal de Uruguaiana. São percorridas três trilhas, uma na área de margem (MR), outra na mata ciliar (MC) e uma terceira trilha é realizada mais ao entorno do Parque, a trilha de campo sujo (CS). As coletas foram realizadas entre as 09:00 e 19:00. O esforço amostral foi padronizado, multiplicando-se o número de horas de amostragem, pelo número de amostradores com rede. A metodologia é adaptada de (MARCHIORI E ROMANOWSKI, 2006, PAZ et al. 2008). Pelo menos dois indivíduos, quando possível, de cada espécie registrada foram coletados. As borboletas foram acondicionadas em envelopes entomológicos, para posterior montagem no Laboratório. Os espécimes serão depositados na Coleção de referência de Lepidoptera do Laboratório de Ecologia de Insetos, Departamento de Zoologia, UFRGS. Para a classificação, atualização da nomenclatura e revisão dos novos registros foram consultadas bibliografias especializadas na área. Resultados e Discussão: Após um total de 45 horas-rede de amostragem, foram registradas 28 espécies de borboletas, distribuídas em 5 famílias e 16 subfamílias. Entre as espécies de borboletas amostradas, 12 pertencem a família Nymphalidae, 8 a Pieridae, 6 a Hesperiidae, 1 a Riodinidae e 1 a Papilionidae. Das 3 trilhas percorridas, CS apresentou maior número de indivíduos, com 16 espécies coletadas. Para a MR foram registradas 9 espécies e para MC foram registradas 11 espécies. Ocorreram três novos registros de borboletas para o Rio Grande do Sul, Fountainea glicerium cratais (Hewitson, 1874), (Nymphalidae, Charaxinae), registrada no verão para a trilha MC. Tatochila mercedis valvoxemii (Capronier, 1874) (Pieridae, Pierinae) foi coletada na primavera, na trilha CS, apresenta registros no Chile e na Argentina. Pyrrhopyge pelota Pötz, 1879, (Hesperiidae, Pyrrhopyginae), foi coletada na trilha de campo sujo, na estação de primavera. Determinados subgrupos presentes, como Pyrrhopyginae podem ser um bom indicativo de saúde geral no sistema (BROWN JR & FREITAS 2000). Conclusões: A área de campo sujo demonstrou-se até o momento mais rica que as outras áreas amostradas, o que pode ser explicado pelas diferenças de recursos propiciados por um ambiente mais antropizado. Inclusive por abrigar maior número de indivíduos da família Pieridae. Contudo, entre os 3 novos registros para o Estado, 2 ocorreram na primavera na mesma trilha, CS e 1 na trilha MC, no verão. Levando em consideração que, a abundância da comunidade de borboletas varia significativamente ao longo do tempo (DEVRIES & WALLA, 2001). É importante ressaltar que este inventário está tendo prosseguimento e os dados ainda poderão variar com a ocorrência de novos registros para as trilhas e para a região como um todo. Orgão de Fomento: BPA-PIBIC

Palavras-chave


Bioma Pampa, Lepidoptera, riqueza de espécies, conservação

Apontamentos

  • Não há apontamentos.