Anurofauna Do Entorno Do Arrroio ImbaÁ, Uruguaiana, Rs, Pampa Brasileiro (dados Parciais)

Karine Arriaga Almerini

Resumo


Introdução: No Rio Grande do Sul o conhecimento sobre a diversidade, ecologia e a história natural dos anfíbios anuros ainda é extremamente fragmentado. Com o declínio de inúmeras populações e a acelerada desconfiguração de habitats, o interesse pelo tema tem aumentado nas últimas décadas. O objetivo deste estudo é identificar as espécies de anuros encontradas no entorno do arroio Imbaá, abrangendo as quatro estações do ano. Material e Métodos: O estudo está sendo desenvolvido nas proximidades do arroio Imbaá, município de Uruguaiana, sob as coordenadas geográficas Latitude S 29º 46’ 37” e Longitude W 56º 57’ 10”. As coletas foram realizadas no período de julho de 2008 a maio de 2009, tendo previsão de término em dezembro de 2009. Utiliza-se o método de captura por armadilhas de queda e coleta manual com busca ativa diurna e noturna. Três pontos de coleta foram escolhidos diferenciando-se entre si na fisionomia do local. As visitas às intermediações do arroio Imbaá são mensais, sendo que cada visita tem a duração de dois dias e o esforço amostral por busca ativa é de 8h.dia, área 1 e 2 e 10h.dia, área 3. Os animais capturados são sacrificados, apenas um espécime por espécie, com a utilização de Xilocaína pomada 5%, logo são acondicionados em sacos plásticos, a identificação é feita até o menor nível taxonômico possível. Os indivíduos são transportados até o laboratório e são devidamente manipulados e preparados para serem colocados na Coleção da PUCRS Campus Uruguaiana MCN-U. Resultados e Discussão: Foram registradas até o momento, para os três pontos de coleta 12 espécies, distribuídas em 4 famílias e 9 gêneros. As famílias Hylidae e Bufonidae apresentaram a maior riqueza de espécies, em contra partida a Leiuperidae representa a família com menor diversidade. A metodologia que mais contribuiu para a captura de espécies foi a busca ativa, com coleta manual diurna e noturna. A armadilha de queda se restringiu à captura de animais não arborícolas, com exceção da Pseudis minuta. Leptodactylus latinasus foi a espécie mais encontrada no decorrer desse trabalho, enquanto Dentrosopus sanborni foi a espécie considerada mais rara. Entre as três áreas estudadas, a que apresentou maior número de espécies foi a A3, área pouco impactada próxima à nascente do arroio Imbaá. Conclusões: Os resultados parciais obtidos no presente estudo demonstram uma taxocenose predominantemente generalista, provavelmente novos registros ainda podem ser incluídos nesta lista. Estudos que enfoquem essas comunidades de anfíbios podem favorecer a compreensão dos fatores mínimos necessários para o estabelecimento de uma população de anuro, auxiliando assim programas não só de preservação de áreas naturais, mas também de recuperação de áreas degradadas. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Anfíbios, Anuros, Ecologia, Armadilha de Queda, Inventário

Apontamentos

  • Não há apontamentos.