Macrofauna Bentônica Como Ferramenta Biológica De Monitoramento De Qualidade Ambiental Do Arroio Felizardo, Bacia Do MÉdio Rio Uruguai, Pampa Brasileiro (dados Preliminares)

Maria Aparecida Maia De Mello

Resumo


Introdução: Os cursos d’água recebem a influência direta ou indireta das atividades antrópicas. Em decorrência destas, os organismos bentônicos reagem as mudanças ambientais fornecendo informações ecológicas sobre os impactos ocorridos no ambiente ao longo do tempo. As variáveis abióticas interferem na integridade biológica do ecossistema aquático, pois exercem influência na colonização e estabelecimento dos organismos bentônicos nos ecossistemas continentais. Este trabalho tem por objetivo identificar a macrofauna bentônica correlacionando-a com a qualidade ambiental do arroio Felizardo, buscando subsídios ecológicos para conservação biodiversidade bentônica. Material e Métodos: No arroio Felizardo foram feitas três coletas em 3 pontos amostrais, duas em períodos chuvosos em agosto 2008 e julho 2009 e outra na estação seca março 2009. Em cada local de captura foram coletadas 6 amostras, com a utilização de dois tipos de coletores, rede de Chute e rede em D, com a aplicação do método Kicknet. As amostras foram fixadas in situ com formol. Foram coletadas amostras de água para análise de variáveis abióticas no Núcleo de Pesquisas Ictiológicas, Limnológicas e Aqüicultura da Bacia do Rio Uruguai. Resultados e Discussão: Até o momento foram identificados 1231 indivíduos pertencentes a 21 famílias. A estação chuvosa apresentou a maior abundância de invertebrados, diferentemente da estação seca em que houve um declínio das populações bentônicas comprometendo a diversidade biológica do arroio Felizardo. A disponibilidade de hábitats tem influência sobre a diversidade de grupos tróficos, de acordo com Callisto et al. 2001, podendo levar a uma maior densidade de grupos funcionais por habitat em períodos chuvosos, ou a uma distribuição mais homogênea em períodos secos. Assim, a diminuição da diversidade pode estar associada aos efeitos das alterações ambientais ocorridas na área de entorno, tais como as atividades agropecuárias acrescidas às alterações decorrentes da estiagem.Da mesma forma Ribeiro & Uieda 2005, afirmam que a pluviosidade é considerada um dos fatores que mais influencia na composição da macrofauna bentônica causando um aumento no volume da água, e assim levando ao arraste de organismos. Conclusões: De acordo com os dados obtidos até o momento podemos concluir que a estação seca interferiu na integridade biológica do arroio Felizardo, visto que a estiagem afetou as características morfométricas do curso d’água, acarretando a diminuição da biodiversidade. O elevado impacto da urbanização e das práticas agropecuárias na área de entorno possivelmente prejudicaram o estabelecimento de organismos bentônicos mais sensíveis a poluição, como Psephenidae e Aeglidae. Com a continuidade do biomonitoramento poderemos verificar restabelecimento da estrutura e composição da comunidade macrobentônica do arroio Felizardo. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Zoobentos, Biomonitoramento, Qualidade das águas

Apontamentos

  • Não há apontamentos.