Inibição Do Transporte De ElÉtrons Mitocondrial Por Diferentes Organocalcogênios

Rafael Dos Santos Hernandez, Robson L. Puntel, João B. T. Rocha, Daniel H. Roos, Nilda B. V. Barbosa

Resumo


Introdução: As mitocôndrias são organelas chave no processo de obtenção de energia pelas células eucariotas. Todos os organismos eucariotos aeróbicos utilizam uma série de proteínas (complexos) integrais da membrana mitocondrial interna para a síntese de ATP. Contudo, além de ser crucial para a produção de energia, os complexos mitocondriais também estão envolvidos na execução do programa de morte celular apoptótico mediado por um estímulo. Dessa forma, qualquer alteração na integridade ou funcionamento dos complexos mitocondriais pode estar relacionada com a morte da célula pela via apoptótica. Compostos contendo selênio são conhecidos por sua habilidade em oxidar grupos tiólicos mitocondriais e gerar espécies reativas de oxigênio causando disfunção mitocondrial e conseqüentemente morte celular pela via apoptótica. Considerando a habilidade dos compostos orgânicos de selênio (disseleneto de difenila e ebselen) e telúrio (ditelureto de difenila) em oxidar grupos tiólicos, nosso trabalho teve por objetivo estudar o efeito desses organocalcogênios sobre a atividade dos diferentes complexos mitocondriais. Material e Métodos: Para tanto as mitocôndrias foram isoladas do fígado, cérebro ou rim de ratos machos albinos pesando entre 200 e 250 g conforme descrito previamente. Os ensaios da atividade dos diferentes complexos mitocondriais foram realizados conforme bibliografia consultada. Resultados e Discussão: O ebselen (5 – 50 µM), o disseleneto de difenila (10 – 100 µM) e o ditelureto de difenila (10 – 100 µM) causaram uma inibição significativa na atividade do complexo I de mitocôndrias do cérebro, fígado e rim de ratos de maneira dependente da concentração. A ordem de inibição para o complexo I foi o ebselen > disseleneto de difenila = ditelureto de difenila. Contudo, o disseleneto de difenila (10 – 100 µM) não foi capaz de inibir significativamente a atividade do complexo II de mitocôndrias de cérebro e fígado de ratos, sendo capaz de inibir somente a atividade do complexo II de rim de ratos. O ebselen (5 – 50 µM) e o ditelureto de difenila (10 – 100 µM) inibiram a atividade do complexo II de cérebro, fígado e rim de ratos significativamente e de maneira dependente da concentração. A atividade do complexo IV foi praticamente inalterada pelos diferentes organocalcogênios nas preparações de cérebro, fígado ou rim de ratos. Conclusões: Os resultados obtidos até o presente momento sugerem que o efeito dos diferentes organocalcogênios sobre a atividade dos diferentes complexos mitocondriais varia dependendo do composto e do complexo estudado. De um modo geral podemos concluir que a ordem de inibição dos diferentes complexos mitocondriais pelos organocalcogênios foi o I > II > IV. Entre os compostos estudados, podemos inferir que a ordem de inibição foi o ebselen > ditelureto de difenila > disseleneto de difenila. Orgão de Fomento: UNIPAMPA, UFSM, CAPES, FAPERGS

Palavras-chave


Mitocondria, Estresse oxidativo, Apoptose, Selênio, Organocalcôgenios

Apontamentos

  • Não há apontamentos.