Avaliação Do Efeito Toxicológico Do Composto Orgânico De Selênio, Disselento De Bis4-metilbenzoÍla, Em Camundongos

Daniela Aymone Ribeiro, Franciele Donato, Natasha Rosa Frasson, Letiére C. Soares, Lucielli Savegnago

Resumo


Introdução: O selênio apresenta um grande número de funções biológicas, sendo a mais importante como antioxidante. Além disso, o Se está presente como resíduo de selenocisteína no sítio ativo das enzimas glutationa peroxidase, sendo que a atividade redox do Se tem fundamental importância para o sítio catalítico dessa enzima. Portanto, a partir da descoberta do papel essencial do selênio nos sítio ativos de enzimas, se intensificou a síntese e o interesse em compostos orgânicos contendo selênio. Dentro desse contexto, vale ressaltar, que vários estudos demonstram que a toxicidade dos organocalcogênios envolve principalmente, a oxidação de grupos–SH de moléculas biologicamente ativas. De fato, diversos trabalhos demonstraram que esses compostos, inibem a atividade de enzimas sulfidrílicas, incluindo, a catalase, glutationa peroxidase e delta -aminolevulinato desidratase.Assim, devido à busca por outros fármacos que poderão representar uma nova alternativa terapêutica no combate e/ou controle de patologias e às inúmeras propriedades farmacológicas para os compostos que contêm selênio, este estudo avaliará o potencial toxicológico do disselento de bis-4-metilbenzoíla, em camundongos. Material e Métodos: Foram utilizados camundongos suíços macho, pesando entre 25 e 35 gramas, provenientes do biotério da Unipampa. O composto foi sintetizado no laboratório sob a coordenação do professor Antônio Braga. Os animais foram pré-tratados pela via oral com uma dose única do composto orgânico, disselento de bis-4-metilbenzoíla (1-500mg/Kg), dissolvido em óleo de canola. Após 72h os animais foram eutanaziados e removeu-se o fígado e rins para as dosagens enzimáticas da catalase, glutationa peroxidase (GPx) delta-aminolevulinato desidratase, de acordo com o protocolo experimental. Resultados e Discussão: Os resultados obtidos demonstraram que o composto disselento de bis-4-metilbenzoíla não alterou a atividade das enzimas glutationa peroxidase, catalase e delta-aminolevulinato desidratase. Não foram testadas as dosagens enzimáticas nas doses mais elevadas (100 e 500mg/Kg), pois os animais não sobreviveram. Na dose de 50mg/Kg apenas um animal sobreviveu, demonstrando que esse composto em altas doses é tóxico. Conclusões: Esses estudos são preliminares. Dessa forma, mais estudos são necessários para elucidar os efeitos farmacológicos do composto disselento de bis-4-metilbenzoíla. Orgão de Fomento: FAPERGS(BIC), CNPq, UNIPAMPA

Palavras-chave


selênio, compostos orgânicos de selênio, toxicologia, camundongos

Apontamentos

  • Não há apontamentos.