Impactos Da Br-290 Sobre A Fauna De MamÍferos Silvestres No MunicÍpio De São Gabriel, Rs, Brasil

Barési Freitas Delabary, Paulo Afonso Hartmann

Resumo


Introdução: Rodovias estão entre as alterações ambientais que causaram impactos mais extensos em paisagens naturais do século XX, por ser um agravante no processo de fragmentação de áreas e no aumento da taxa de mortalidade de animais. No Brasil são poucas as informações, embora estudos realizados demonstrem que é significativa a perda de fauna em rodovias. O número de animais mortos por atropelamento no Brasil a cada ano é agravado principalmente em rodovias com grande fluxo de automóveis e que cortam áreas ricas em fauna. Apesar do alto custo e das deficiências das rodovias, este é o principal meio de transporte no Brasil, nas quais são transportadas 85% da população e produtos brasileiros. Neste sentido, é necessário entender as interações desses animais com seu habitat, para só depois implantar medidas que ajudem na redução dos atropelamentos. Este trabalho teve como objetivo estimar a perda de fauna de mamíferos por atropelamentos em uma rodovia do Pampa Brasileiro e quais são as espécies mais suscetíveis. Material e Métodos: No período de maio a setembro de 2009 foi realizado um levantamento das espécies de mamíferos mortos por atropelamento entre os km 424 e 428 da BR-290 (30º19’S, 54º22’O), distante cerca de cinco km do centro urbano do município de São Gabriel, Rio Grande do Sul, Brasil. A amostragem foi realizada nos dois lados da pista, onde adotou-se como referência básica a marcação regular disponível, no caso, o número da marcação do DAER na pista. O trecho de amostragem foi percorrido com o uso de uma bicicleta, a uma velocidade aproximada de 10 quilômetros por hora, para facilitar o avistamento dos espécimes na rodovia. As amostragens ocorreram duas vezes por semana, com intervalos de no mínimo dois e no máximo quatro dias, totalizando 330 km de amostragens até o momento. A cada encontro, foram obtidas informações sobre a data do encontro, o local e tipo de ambiente às margens da rodovia. Para cada espécime encontrado atropelado foi registrada a espécie (no menor nível taxonômico possível), a data, o local e o tipo de vegetação na margem. Espécimes em melhor estado de conservação foram coletados e tombados na coleção da Universidade Federal do Pampa, campus São Gabriel. Indivíduos não coletados foram retirados da pista ou acostamento, para não acarretar em duplicação dos dados. Resultados e Discussão: Até o momento foram encontrados 50 indivíduos de mamíferos atropelados. As espécies encontradas foram: Cavia aperea (N = 16), Cerdocyon thous (N = 6), Conepatus chinga (N = 4), Procyon cancrivorus (N = 2), Galictis cuja (N = 1), Didelphis albiventris (N = 1). Outros 20 animais não foram identificados a nível específico. A maior frequencia de atropelamentos ocorreu entre os km 3000 e 4000 (N = 12), sendo que nessa área a matriz do entorno é constituída por pastagem e alguns pequenos charcos. A alta taxa de atropelamentos pode ocorrer principalmente por dois motivos: primeiro, as estradas de rodagem cortam habitats e interferem no deslocamento natural das espécies, e segundo, servem de atrativo devido à disponibilidade de algum recurso presente ao longo da rodovia. Conclusões: No trecho com maior mortalidade de mamíferos por atropelamento os dois fatores parecem atuar conjuntamente. Os charcos cortados pela rodovia servem como habitat das espécies, que podem ser atropeladas durante o seu deslocamento. Além disto corpos d’água podem servir de atrativo para a fauna de mamíferos, pela presença de recursos hídricos ou alimentares. Orgão de Fomento: CNPQ

Palavras-chave


atropelamentos, rodovias, mamíferos, recursos, impactos

Apontamentos

  • Não há apontamentos.