Consumo De Plantas Medicinais E O Perfil Do Consumidor Na Cidade De RosÁrio Do Sul, Rs.

Marciéle Fernandes Safons, Nara Rejane Zamberlan Dos Santos

Resumo


Introdução: A utilização de espécies vegetais benéficas à saúde é milenar. No Brasil essa cultura começou a partir dos indígenas que buscavam prevenir doenças e curar males, e continua até hoje acolhendo cada vez mais adeptos. Material e Métodos: Na cidade de Rosário do Sul, situada a oeste do Rio Grande do Sul, a utilização de plantas com propriedades farmacológicas é bastante comum. Baseado nisso, este trabalho tem como objetivo averiguar quais as espécies comercializadas pelas farmácias e drogarias do município e a partir destes dados traçar um perfil dos consumidores. Foi inventariado, através de um censo os estabelecimentos onde foi aplicado um instrumento com perguntas objetivas e descritivas. Resultados e Discussão: Os resultados apontaram que a grande maioria dos consumidores são do sexo feminino, com faixa etária entre 30 e 60 anos, e elegeram as espécies Camellia sinesis (chá verde), Matricaria recutita(camomila), Cássia angustifolia (Sene), Baccharis trimera (Carqueja), Foeniculum vulgare(Funcho), Cynara cardunculus(Alcachofra) e Tipuana(Tipuana) como as mais consumidas. A freqüência de vendas nos estabelecimentos é diária e o preço cobrado pelos produtos variam de R$1,99 a R$13,95. Conclusões: Espera-se que as informações coletadas sirvam para alavancar pesquisas sobre os costumes e conhecimentos que a população deste município possui sobre as espécies que consomem, e também para que possam ser melhor informados sobre o uso e reais benefícios de cada espécie. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


espécies, medicinais, principios, farmacológicas, consumo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.