Atropelamento De Fauna Em Uma Área De Charco No Pampa Brasileiro.

Renata Figueira Machado, Cibele Da Costa Cardoso, Paulo Afonso Hartmann

Resumo


Introdução: Rodovias estão entre as mais evidentes alterações ambientais geradas pelo homem e inúmeros efeitos ecológicos negativos para fauna foram e continuam sendo descritos. Um dos mais perceptíveis é a mortalidade de animais devido a atropelamentos. Nos últimos anos, os impactos causados à fauna por atropelamentos nas rodovias têm recebido a atenção de pesquisadores de vários países. No Brasil são poucos os estudos, embora os dados demonstrem perda significativa de fauna por atropelamentos em rodovias. Altas taxas de atropelamentos podem ocorrer principalmente por dois motivos. Primeiro, as estradas cortam habitats interferindo no deslocamento natural das espécies. Segundo, devido à disponibilidade de algum recurso ou atrativo presente ao longo da rodovia, como por exemplo, frutos e sementes das espécies arbustivas e arbóreas próximas à via; grãos derramados pelos caminhões e carniça de animais atropelados atraindo a fauna escansorial. Este estudo teve por objetivo estimar perda de fauna de vertebrados terrestre por atropelamentos em uma área de charco no Pampa Brasileiro. Os resultados obtidos serviram para discutir como os atropelamentos se relacionam com as características ecológicas da fauna. Material e Métodos: O estudo foi desenvolvido na rodovia BR-290, ao longo do Banhado Inhatium (30º15’S, 54º31’O), distante cerca de 20 km do centro urbano do município de São Gabriel, Rio Grande do Sul, Brasil. O trecho da rodovia amostrado tem 1.200 m, sendo 600 m margeado por charco e 600 m margeado por plantação. Para registro do local do atropelamento subdividimos a área em 60 transectos de 20m. O método de amostragem utilizado consiste em percorrer a pé a área, registrando os animais atropelados na pista ou acostamento. Este método permite melhor detalhamento dos dados em comparação a outros métodos como deslocamento com veículos. De maio a setembro de 2009 foram realizadas 33 amostragens, duas vezes por semana, com intervalos de no mínimo dois e no máximo quatro dias. Cada espécime encontrado atropelado foi fotografado e registrada a espécie (no menor nível taxonômico possível), a data, o local e o tipo de vegetação na margem. Espécimes em bom estado de conservação foram coletados e tombados na coleção da Unipampa. Indivíduos não coletados foram retirados da pista ou acostamento, para evitar duplicação dos dados. Resultados e Discussão: Encontramos 112 animais atropelados. Mamíferos foram os mais encontrados (N = 52, 46%), seguido de aves (N = 32, 28%), anfíbios (N = 23, 20%), répteis (N = 3, 03%). Dois indivíduos não foram identificados (2%). Percebeu-se maior número atropelamentos no trecho da rodovia margeada por plantação de arroz (N = 65), sendo os mamíferos (N = 33) o grupo mais atingido. Na região de banhado foram encontrados 45 animais atropelados, sendo as aves (N = 21) as mais encontradas. As espécies de aves mais freqüentemente encontradas atropeladas possuem hábitos aquáticos. Grande parte das espécies de mamíferos encontradas pertence ao grupo dos roedores, sendo a maioria encontrado na área de banhado. Conclusões: Os atropelamentos na área margeada por plantação parecem estar relacionados ao uso dos recursos disponível na rodovia, ou no seu entorno, como grãos ou brotos de plantações. Na área de charco a principal causa dos atropelamentos parece ser a barreira que a rodovia impõe ao deslocamento da fauna que utiliza com frequência este ambiente. Orgão de Fomento: CNPq

Palavras-chave


Atropelamentos, Vertebrados, Rodovias, Charco, Pampa

Apontamentos

  • Não há apontamentos.