Efeito De Baixas Concentações De CÁdmio Sobre A Atividade Da Enzima Deltaaminolevulinato Desidratase De OvÁrio De Vaca - Estudo In Vitro.

Laura Musacchio Vargas, Melina Bucco Soares, Aryele Pinto Izaguyrre, Francielli Weber Santos Cibin

Resumo


Introdução: A d-aminolevulinato desidratase (d-ALA-D) é uma metaloenzima que requer íons zinco para sua atividade catalítica máxima. Esta enzima catalisa a condensação assimétrica de duas moléculas do ácido -aminolevulínico (d-ALA), formando o porfobilinogênio, em um dos passos iniciais da biossíntese do heme. Além disso, a d-ALA-D é uma enzima sulfidrílica e, diversos metais são capazes de oxidar os grupos sulfidrílicos da enzima podendo modificar sua atividade. De todos os metais tóxicos encontrados no ambiente e utilizados industrialmente, o cádmio é um dos que apresenta maior interesse clínico, uma vez que as intoxicações por cádmio são difíceis de serem tratadas. Este metal apresenta uma meia vida biológica longa (20-30 anos em humanos), podendo se acumular em diversos órgãos. Considerando o sistema reprodutor alvo dos efeitos tóxicos do cádmio, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de baixas concentrações deste metal sobre a atividade da enzima d-ALA-D de ovário de vaca. Material e Métodos: Os ovários de vaca foram obtidos do frigorífico Frigoeste S.A. do município de Uruguaiana. Foi realizada a padronização da técnica de determinação da atividade da enzima d-ALA-D, utilizando diferentes quantidades de tecido bem como diferentes tempos de incubação. O tecido foi homogeneizado em uma solução de TrisHCl 50 mM, pH 7,4. Após centrifugação, utilizou-se o sobrenadante para a determinação da atividade enzimática na presença das seguintes concentrações de cádmio (0,1; 1; 10; 25; 50; 100 e 1.000 micromolar). A atividade da enzima d-ALA-D foi determinada pela concentração de porfobilinogênio (PBG) formado, com algumas modificações, usando o reagente de Ehrlich e espectrofotômetro em 555 nm. Resultados e Discussão: Com a padronização da técnica, verificou-se que utilizando 3 horas de incubação e 0,2 mL de sobrenadante de homogenato 1:5 (peso/volume) obteve-se uma atividade enzimática adequada para o estudo in vitro. Com relação ao efeito do cádmio sobre a atividade da enzima, foi observada uma redução significativa da mesma a partir da concentração de 1 micromolar de cádmio. Concentrações acima de 100 micromolar de cádmio inibiram totalmente a atividade da enzima. O mecanismo pelo qual o cádmio inibe a atividade desta enzima pode estar relacionado à oxidação dos grupos tiólicos (-SH) desta ou ainda pelo deslocamento do zinco (Zn2+) pelo cádmio (Cd2+). Conclusões: O presente trabalho demonstrou pela primeira vez que a atividade da d-ALA-D de ovário bovino é inibida por baixas concentrações de cádmio. Considerando que para que a d-ALA-D tenha atividade catalítica máxima os grupos tiólicos precisam estar na forma reduzida e o zinco precisa estar presente no sítio ativo desta, podemos sugerir que o cádmio poderia estar inibindo a atividade da enzima por um destes mecanismos ou por ambos mecanismos. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


cádmio, Ala-d, ovários, bovinos, porfobilinogênio

Apontamentos

  • Não há apontamentos.