Desenvolvimento De Metodologia Para A Detecção Da Diversidade De Microinvertebrados Indicadores De Qualidade De Água Doce

Afnan Khalil Ahmad Suleiman, Luiz Fernando Wurdig Roesch

Resumo


Introdução: Os organismos de água doce compreendem um grande número de grupos taxonômicos que desempenham diversas funções no ecossistema. Analisando a diversidade biológica desses ambientes, podem-se mensurar mudanças nas comunidades existentes usando os microinvertebrados como indicadores de qualidade ambiental. O número e a abundância espécies microinvertebrados em água doce ainda são pouco conhecidos e as técnicas atuais para a quantificação e identificação destes organismos são laboriosas e requerem conhecimento aprofundado em taxonomia. Uma das possibilidades para a análise diversidade microinvertebrados aquáticos é o uso de metodologias baseadas em biologia molecular que possibilitem o estudo das comunidades de forma mais rápida e precisa. Entretanto, ainda não existem técnicas estabelecidas e testadas para utilização com este propósito. Assim, objetivou-se desenvolver uma metodologia para a detecção rápida diversidade microinvertebrados de água doce para utilizar os resultados como indicadores de qualidade ambiental. Material e Métodos: Amostragens serão realizadas com o auxílio de duas redes de plâncton. Uma rede terá abertura de malha de 0,2 mm que servirá para a retirada dos macroinvertebrados da amostra e a outra menor que 0,2 mm para a captura dos microinvertebrados. Imediatamente após a coleta, as amostras serão lavadas com álcool etílico para a remoção de outras espécies e após a lavagem, o DNA dos microinvertebrados será extraído e utilizado para a amplificação do espaço intergênico ribossomal entre os genes 18S e 28S. Nessa técnica a heterogeneidade do comprimento do espaço intergênico ribossomal será observada. Assumindo que cada espécie microinvertebrado apresenta o comprimento do espaço intergênico distinto, é possível detectar a presença de diferentes espécies em uma amostra. Para isso, no presente momento, está sendo realizada a seleção de dois oligonucleotídeos iniciadores para a amplificação do espaço intergênico de microinvertebrados por meio de pesquisa realizada na literatura e pela análise de sequências disponíveis em bancos de dados. Os fragmentos amplificados serão analisados por eletroforese e as comunidades serão comparadas pela presença ou ausência de fragmentos no gel. Resultados e Discussão: Diversos estudos de determinação da diversidade de microrganismos têm empregado a amplificação do DNA. A ferramenta molecular de análise da região intergênica pode ser eficiente na determinação e caracterização das comunidades de microinvertebrados presentes nas amostras de água doce investigando, assim, organismos a nível intra-específico. Haverá uma comparação dos padrões de bandas gerados, onde será possível a detecção de alterações nas estruturas da comunidade dos microinvertebrados em diferentes amostras. No presente momento, foi selecionado o oligonucleotídeo iniciador EUK1209 (5’-CAGGTCTGTGATGCCC-3’) que codifica a região final do 18S entre as posições 1431 e 1446. Essa sequência é capaz de detectar um número aproximado de 37.217 organismos eucarióticos. O oligonucleotídeo iniciador que codifica a região inicial do 28S ainda está sendo pesquisado. Conclusões: Com base nas informações contidas nos bancos de dados genéticos foi possível selecionar um oligonucleotídeo iniciador adequado para a detecção e amplificação microinvertebrados aquáticos. A captura dos microinvertebrados e remoção dos outros organismos das amostras são essenciais como primeira etapa do trabalho. Contudo, testes serão realizados para a confirmação e adequação da metodologia. Orgão de Fomento: CNPq

Palavras-chave


Diversidade, Microinvertebrados, Água Doce, Qualidade Ambiental

Apontamentos

  • Não há apontamentos.