Avaliação De GramÍneas Forrageiras Anuais De Verão Na Região Da Campanha Do Rs

Ricardo Pereira Da Cunha, Éder Rodrigues Peres, Josiane Martim Jardins, Daniel Portella Montardo

Resumo


Introdução: O capim sudão (Sorghum sudanense) e o milheto (Pennisetum americanum) são gramíneas forrageiras anuais de verão muito utilizadas no Rio Grande do Sul. De modo geral, o milheto apresenta boa produção de forragem e melhor qualidade que o capim sudão. Por sua vez, o capim sudão também apresenta boa produção de forragem, mas com um ciclo de utilização mais longo e sementes mais baratas que o milheto. Apesar de serem muito utilizados, existem poucas cultivares de milheto disponíveis no mercado, e nenhuma de capim sudão. Por essa razão a Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas, MG) e a Embrapa Pecuária Sul vem desenvolvendo programas de melhoramento genético com as duas espécies, visando ao lançamento de cultivares melhor adaptadas às condições ambientais do Sul do Brasil. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar, na região da Campanha do Rio Grande do Sul, linhagens selecionadas das duas espécies pelos referidos programas. Material e Métodos: O experimento foi implantado na Embrapa Pecuária Sul, em Bagé, RS, no dia 16 de janeiro de 2009, em delineamento experimental de blocos casualizados com quatro repetições. As parcelas eram constituídas de quatro linhas de quatro metros de comprimento, espaçadas entre si por 40 cm. Foram avaliadas duas linhagens de Capim Sudão (CS NPSFI 01 e CS NPSFI 07), quatro linhagens de milheto (MJ 1188, MCM 01, MCMS 03 e MSOUNNAB), e comparadas com a cultivar de milheto BRS 1501, utilizada como testemunha. A produção de matéria seca total (MST) e produção de matéria seca de folhas (MSF) foram avaliadas através de cortes a 10 cm acima do nível do solo sempre que as plantas atingiam cerca de 70 cm de altura. Após o corte as amostras eram pesadas e subamostradas para posterior separação morfológica em folhas e caules, quando então eram colocadas para secar em estufa com circulação forçada a 600C até peso constante, sendo os valores finais expressos em kg de MS/ha. Os dados foram tabulados e submetidos à análise de variância em esquema de parcela subdividida no tempo, sendo as médias de tratamentos comparadas entre si pelo teste de Duncan a 5% de probabilidade. Foram realizados três cortes de avaliação, nos dias 04 de março, 08 de abril e 03 de maio de 2009. Resultados e Discussão: Com relação a variável matéria seca total ocorreu interação entre cortes (tempo) e tratamentos. No primeiro corte não foram constatadas diferenças entre os tratamentos. Porém, no segundo corte a linhagem de milheto MJ 1188 apresentou a maior produção (2.863 kgde MS/ha), embora não tenha se diferenciado significativamente das duas linhagens de capim sudão, nem da cultivar de milheto BRS 1501. Já no terceiro corte a linhagem de capim sudão CS NPSFI 01 apresentou a maior produção (2.182 kg de MS/ha), diferindo-se de todos os demais tratamentos, exceto da outra linhagem de capim sudão, confirmando o fato dessa espécie apresentar ciclo mais longo que o milheto. Quanto a produção de matéria seca de folhas, não ocorreram diferenças significativas entre os tratamentos. Conclusões: Pode-se concluir que as novas linhagens selecionadas de milheto e capim sudão apresentam bom potencial para lançamento como novas cultivares, com destaque para a linhagem de capim sudão CS NPSFI 01. Orgão de Fomento: Embrapa Pecuária Sul

Palavras-chave


população selecionada, produção, capim-sudão, melhoramento, milheto

Apontamentos

  • Não há apontamentos.