Avaliação De Perdas E Danos Em Grãos De Diferentes Cultivares De Trigo Causados Pela Broca-pequena-do-grão (rhyzopherta Dominica)

Nereu Carpes Meus, Fernando Carpes Braga, Gabriel Barchet, Marcelo Felten, Fernando Felisberto Da Silva

Resumo


Introdução: O trigo é uma das principais fontes de energia para a população mundial, sendo os seus derivados, tais como farinha, biscoitos e macarrão, amplamente consumidos devido aos seus baixos custos. No Brasil sua produção concentra-se no Sul onde é responsável por 90% da produção nacional brasileira e, no Centro-Sul do país tendo como principais produtores os estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo. Em 2008 a produção brasileira de trigo foi de 4,1 milhões de toneladas, ocupando uma área de 1,8 milhões de hectares. A broca-pequena-do-grão (Rhyzopherta Dominica) é a principal e a mais destrutiva praga de trigo armazenado, promovendo redução significativa de seu valor comercial. Este inseto além de ser uma das principais pragas do trigo armazenado, é uma das principais pragas do arroz armazenado e ocorrem também em milho, sorgo, cevada e centeio. Os adultos acasalam logo após a emergência e sob condições favoráveis a postura pode continuar por cerca de quatro meses, não havendo pico definido. A fêmea desova entre 300 a 500 ovos, colocando-os isoladamente ou em grupos na massa de grãos. O desenvolvimento ótimo está entre 32 e 35C° a 70% UR, sendo nessas condições completado em torno de 25 dias e em 84 dias a 22°C, a 70% UR. O presente trabalho teve como objetivo avaliar as perdas de massa e danos ocasionadas pela broca-pequena-do-grão em grãos de trigo, utilizando cinco diferentes cultivares, e assim diagnosticar possíveis resistências das mesmas ao ataque dessa importante praga para grãos armazenados. Material e Métodos: As cultivares foram pesadas, e assim colocadas, separadamente, em caixas gerbox e posteriormente levadas a B.O.D. para que a temperatura fosse mantida entre 24 e 25°C e 80% de U.R. O trabalho foi desenvolvido em condições de laboratório na Universidade Federal do Pampa, Campus de Itaqui-RS. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso com três repetições. Os insetos foram distribuídos sem chance de escolha nas caixas gerbox em uma densidade de 20 insetos por caixa e 15 gramas de cada cultivar. Assim foi feito avaliações periódicas, nos grãos de trigo, avaliando as perdas, de acordo com o peso da massa de grãos e a porcentagem de grãos danificados pelos insetos. Resultados e Discussão: As cultivares Pampeano e Fundacep Nova Era apresentaram maior porcentagem de danos em relação às cultivares Timbauva, Fundacep 52 e Cristalina. A cultivar Timbaúva sofreu uma maior perda em sua massa, enquanto que as demais cultivares não diferiram significativamente no teste de Tukey. O principal problema no controle de pragas de grãos armazenados é a resistência aos inseticidas. Conclusões: Em virtude disto, muitos estudos são feitos em função do manejo integrado de pragas, que visam reduzir o número de espécies resistentes, ou pelo menos retardar o aparecimento de pragas resistentes a inseticidas. Com base nestes estudos, o desenvolvimento ou descoberta de plantas tolerantes ou resistentes a insetos é um grande passo na busca pela redução ou desuso de inseticidas em trigo armazenado. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


manejo integrado de insetos, pragas de grãos armazenados, pragas de trigo armazenado, pragas de arroz armazenado

Apontamentos

  • Não há apontamentos.