Avaliação Agronômica De Genótipos De Citros Nas Condições EdafoclimÁtcias Do MunicÍpio De Itaqui Na Região Da Fronteira Oeste - Rs

Gabriel Franke Brixner, Danielle Bellagamba De Oliveira, Dienice Ana Bini, Carlos Roberto Martins

Resumo


Introdução: Nos últimos tempos a citricultura vem se desenvolvendo em municípios como o de Rosário do Sul, Itaqui, Uruguaiana, entre outros, que apresentam condições edafoclimáticas favoráveis a produção de frutas cítricas para consumo in natura. Pois o clima seco e com períodos de baixa precipitação pluviométrica aliado as altas taxas de insolação favorecem a produção de frutas sadias e com coloração e sabor diferenciados. Além do relevo e a facilidade de mecanização do solo que se enquadram nos aspectos que estimulam o cultivo de citros. Por isso, o trabalho teve como objetivo acompanhar o desenvolvimento agronômico de diferentes genótipos de citros frente às condições edafoclimáticas do município de Itaqui, na região da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Material e Métodos: O experimento foi conduzido na Cabanha Santa Mathilde, num pomar comercial implantado em agosto de 2007. O delineamento empregado foi inteiramente casualizado com 10 repetições, em que cada planta corresponde a uma parcela. O tratamento foi constituído pelas cultivares de laranja Navelina, Salustiana, Valência (Delta e Midkwight), Lane Late e a bergamota Satsuma Okitsu, sobre o porta-enxerto trifoliata e com espaçamento de 6 m entre fila e 4 m entre planta. As avaliações foram realizadas a partir de dezembro de 2008 de dois em dois meses. Para avaliar o desenvolvimento foi medido através de um paquímetro (mm) a 10 cm abaixo do ponto de enxertia. Além da altura da planta (cm) e determinação do vigor através de notas de 1 a 3 (sendo 1 baixo, 2 médio e 3 ótimo). E a medição do volume da copa (m³), que foi calculado com base nas medidas da altura da planta (H) e do diâmetro da copa, este obtido no sentido da linha (Dl) e no sentido perpendicular a entre-linha (Dr) e aplicado na fórmula: V = (3,14/6) x H x Dl x Dr. Resultados e Discussão: Para a avaliação do diâmetro a 10 cm abaixo do ponto de enxertia, observa-se que as cultivares Navelina, Salustiana e Valência Delta vem apresentando um desenvolvimento mais expressivo em relação às demais, com destaque a Salustiana que apresenta uma média de 26,9 mm no mês de setembro. Para o parâmetro altura das plantas, a cultivar Salustiana apresenta o maior porte em relação às demais cultivares, uma média de 89,6 cm no mês de setembro, porém se observa uma redução em praticamente todas as cultivares, seja no parâmetro altura com no volume, pois foi feita uma poda de formação nas plantas. Observa-se que a cultivar em que mais retirou material na poda foi a Valência Delta que reduziu 0,100 cm³. Para o vigor das plantas foi possível observar que o mês em que as plantas apresentavam o melhor vigor foi no mês de dezembro, com exceção da cultivar Valência Midkwight que sofreu com deriva. E que os vigores mais baixos foram registrado nos meses de fevereiro e maio. Conclusões: Portanto, atualmente as cultivares de citros vem apresentando um desenvolvimento satisfatório frente às condições edafoclimátcias do município de Itaqui na região da Fronteira Oeste. Orgão de Fomento: FAPERGS

Palavras-chave


Laranja, Bergamota, Consumo in natura

Apontamentos

  • Não há apontamentos.