Avaliação Da Atividade Inseticida Do Extrato Etanólico De AraucÁria Angustifólia Em Baratas Da EspÉcie Leurolestes Circunvagans

Ana Paula De Bairros Lucho, Joelio Dias Perdomo Jr, Graziele Daiane Sürmer, Christian Augusto Bugs, Cháriston André Dal Belo

Resumo


Introdução: A espécie Araucária angustifólia é nativa do Brasil e possui uma ampla área de distribuição. No entanto, a sua exploração indiscriminada colocou-a na lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção (Brasil, 1992). Os estudos de plantas com propriedades inseticidas foram retomados após a constatação de graves problemas de contaminação ambiental causados pela utilização de produtos químicos. O objetivo deste trabalho foi verificar o potencial inseticida do extrato etanólico de Araucária angustifólia (EEAA) através da determinação da dose letal mínima (DLM) em baratas da espécie Leurolestes circunvagans Material e Métodos: Ramos da espécie Araucária angustifólia foram coletados no mês de setembro e a identificação feita pelo Professor Dr. Cláudio Vinicius de Senna Gastal Jr, do Campus São Gabriel da UNIPAMPA. Uma amostra foi herborizada e depositada no herbário do Campus. Cerca de 1 kg de material vegetal foi coletado e seco em estufa por quatro dias à 60°C, pulverizado manualmente e acondicionado em Erlenmeyer. A seguir o material vegetal foi macerado em álcool 70% por 48 horas. A solução filtrada foi evaporada em banho Maria a 40°C por uma semana. Os ensaios para a determinação da (DLM) foi realizado essencialmente como descrito por Kagabu et al. (2007), usando-se baratas da espécie Leurolestes circunvagans. Para tal, várias concentrações do (EEAA) foram dissolvidas em solução fisiológica e um volume de 20µl foi injetado na 3° porção abdominal de cada animal. Para cada dose de extrato três animais foram usados e, após injetados, foram acondicionados em garrafas de plástico por 24 horas a temperatura de 24°C, com água e ração ad libitum. A dose mínima para que cada grupo de três animais fosse considerado morto, foi eleita como a DLM. A análise estatística foi feita usando-se o teste não paramétrico “t” de Student. Resultados e Discussão: Desta forma, os animais foram injetados com doses crescentes de EEAA (200, 400, 2000 µg/g) (n=3). A dose de 200g/g não foi eficaz em produzir a morte de todos os animais. No entanto, à partir das doses de 400 e 2000g/g foi observada a morte de 100% dos grupos (n=3, p

Palavras-chave


Atividade Inseticida, Araucária angustifólia, Leurolestes circunvagans

Apontamentos

  • Não há apontamentos.