Qualidade Pós-colheita De Citros De Mesa Sem Sementes Na Safra 2008/09 Em Uruguaiana – Rs

Dienice Ana Bini, Gabriel Franke Brixner, Danielle Bellagamba De Oliveira, Carlos Roberto Martins

Resumo


Introdução: A citricultura vem ganhando destaque na região Fronteira Oeste, por ser uma alternativa para a diversificação da matriz econômica. Assim sendo, o conhecimento da adaptabilidade das diversas cultivares nas condições locais torna-se interessante para orientar os produtores. Material e Métodos: Nesse contexto o objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade pós-colheita – sensorial e físico-química - de cultivares de citros de mesa, nas condições edafoclimáticas de Uruguaiana – RS. O trabalho foi realizado na safra 2008/09, com as cultivares Marisol, Clemenules, Salustiana (sem sementes) e Murcot (duplo propósito), no pomar didático experimental da PUCRS. A análise sensorial foi realizada por um grupo de doze avaliadores formado por professores e funcionários do campus, previamente treinados. Esta constituiu-se dos seguintes atributos: cor, brilho, doçura, acidez, aroma, sabor, suculência, residual (permanência do sabor na boca), qualidade geral, aceitação comercial. Avaliou-se também o peso e diâmetros dos frutos, teor de suco, (parâmetros físicos) pH, sólidos solúveis totais (SST) (parâmetros químicos). Resultados e Discussão: A cultivar que mais agradou os avaliadores foi a Salustiana, a Marisol recebeu as menores notas. Os principais defeitos apontados pelos avaliadores foram: casca de coloração desuniforme, fruto pouco doce, com aroma fraco e, pequenos. O ataque intenso de formigas aos frutos desta cultivar antecipou a colheita, portanto, uma colheita mais tardia poderia melhorar alguns atributos. Quanto ao tamanho do fruto, foi observado também nas demais cultivares e reflete o efeito da baixa precipitação durante o ciclo, principalmente em dezembro e janeiro (o pomar não foi irrigado). Para a Murcot os principais pontos salientados foram cor atrativa da polpa e casca, mas por ser uma cultivar de duplo propósito apresentou acidez intensa e muitas sementes. Mereceu destaque sabor e o aroma da fruta. A Clemenules foi descrita como uma cultivar de sabor suave, atrativa aos olhos pela coloração da casca. A cultivar Salustiana se destacou em todos os parâmetros, os avaliadores frizaram o equilíbrio entre a acidez o a doçura, frutos bastante suculentos, com sabor agradável. Não houve diferença significativa para o diâmetro dos frutos, com 63,7 mm de média entre as cultivares, SST com 14 ºBrix de média e pH 3,1 na média. Diferiram estatisticamente o peso e o teor de suco. A cultivar com frutos mais pesado foi a Salustiana (127,6 g), em contrapartida essa cultivar apresentou o menor teor de suco 38,6%, (por ser uma laranja e ter a casca mais espessa). A Marisol apresentou os frutos com menor peso (49,4). O teor de suco das tangerineiras ficou entorno de 47,1. Conclusões: Conclui-se que as condições climáticas foram suficientes para o desenvolvimento reprodutivo das cultivares. Que os frutos seriam aceitos pelos consumidores. Que a qualidade química foi semelhante, diferindo nos aspectos físicos, o que é diretamente determinado por fatores intrínsecos de cada cultivar. Orgão de Fomento: BPA

Palavras-chave


Análise sensorial, Tangerinas, ºbrix

Apontamentos

  • Não há apontamentos.