Complexo Echinococose: Situação Atual, Medidas De Controle E Perspectivas Para O Futuro No MunicÍpio De Dom Pedrito/rs

Greici Cortez Sawitzki, Lauren Valiente De Freitas, Thiago Pereira Vieira, Larissa Picada Brum

Resumo


Introdução: A echinococose cística é uma doença parasitária comum no estado do Rio Grande do Sul, Brasil, causada pelo cestódeo Echinoccocus granulosus e suas variantes genéticas nos seus hospedeiros intermediários sendo os cães domésticos os principais hospedeiros definitivos. Os cistos hidáticos encontram-se preferencialmente em bovinos, ovinos e acidentalmente em humanos. A hidatidose humana é tradicionalmente um problema de saúde pública que acomete pessoas da área rural, no entanto, residentes de áreas urbanas e peri-urbanas estão sujeitos a exposição acidental devido ao convívio com cães infectados. Em um inquérito endemiológico realizado no ano de 2001 determinou-se que em cães errantes provenientes de Dom Pedrito, 7,7% apresentavam o cestódeo e 13,8% eram reagentes. Essa enfermidade ciclozoonótica endêmica na região sul do RS e denominada por alguns autores como hiper-endêmica em municípios de fronteira com o Uruguai. Nessas regiões, tradicionalmente, cães são alimentados com vísceras cruas dos seus hospedeiros intermediários infectadas por cistos contendo a forma imatura da tênia. Dom Pedrito/RS é um município de fronteira Brasil-Uruguai com registros de alta ocorrência de hidatidose. Nesse município estão sendo realizados estudos epidemiológicos da prevalência da hidatidose em bovino, ovinos e humanos, com o objetivo de identificar a situação para a implantação do programa de combate, controle e prevenção da zoonose. Material e Métodos: Os dados referentes ao abate de ovinos sujeitos à Inspeção Federal são obtidos em um frigorífico localizado no município de Dom Pedrito, os dados de bovinos são fornecidos pela Secretaria Municipal da Agricultura (Serviço de Inspeção). Os dados em humanos até o presente momento não foram fornecidos. Na zona rural foram realizadas entrevistas preliminares para detecção do número de cães por habitantes em conjunto com a Secretaria Municipal de Agricultura. Resultados e Discussão: No período de janeiro de 2006 a junho de 2009, 5.955 bovinos foram abatidos revelando uma prevalência de cistos hidáticos em 21.4%. Nesse mesmo período foram abatidos 25.379 ovinos e 26,7%, apresentaram cistos hidáticos. Entrevistas iniciais revelaram uma média de 1 a 2 cães por pessoa, embora os resultados significativos sejam definidos após a conclusão de senso canino em andamento. No entanto, a partir destes resultados em julho deste ano, iniciou-se um programa para dosificação de cães na zona rural, por meio da utilização de praziquantel, no local de realização das entrevistas. Foram dosificados 95 cães em quatro localidades até então. Segundo relatos de autores em cidades como Lima no Peru e Melo no Uruguai a ocorrência da tênia em cães urbanos foram de 3,42% e 4.4% respectivamente. Os dados encontrados até o momento em Dom Pedrito concordam com outros autores revelando a ocorrência endêmica de hidatidose em animais de produção e cães infectados com a E. granulosus, que classifica esta zoonose como sendo um problema sócio econômico global, com perdas na saúde humana e produção animal. Conclusões: Sua emergência como zoonose no mundo requer direcionamento de pesquisas para subsidiar programas de combate, controle e prevenção do complexo echinococose hidatidose, como o que pretende-se implantar no município de Dom Pedrito. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Complexo Echinococose, Situação Atual, Controle, Dom Pedrito

Apontamentos

  • Não há apontamentos.