Impacto Produtivo Da Alteração Do Peso A Desmama De Terneiros De Corte

Valdir Da Trindade Filipini, Bárbara Cristina Dos Santos, José Acélio Silveira Da Fontoura Junior

Resumo


Introdução: O sistema de cria é a atividade com menor rentabilidade da pecuária, sendo superada em lucratividade pela recria e engorda. Na bovinocultura de corte, a fase de cria é aquela destinada à produção do bezerro, constituída por touros, matrizes, novilhas de reposição, novilhas para o primeiro acasalamento e bezerros, com pequenas variações dependendo do sistema de produção. Vários índices zootécnicos devem ser levados em consideração para se avaliar um sistema de cria, um deles é o peso ao desmame, pois quanto mais pesado for o bezerro, menor será a sua necessidade alimentar para atingir o peso ao abate, sendo este peso, um componente importante da fase de cria. O objetivo deste trabalho foi, através de modelos matemáticos, simular diferentes pesos a desmama e o consequente reflexo no desfrute desses sistemas. Material e Métodos: O trabalho foi realizado através do uso de um modelo de evolução de rebanho, em planilha eletrônica, com base em 4 cenários, formados pela combinação de diferentes pesos a desmama, sendo 160, 180, 200 e 220 Kg. Utilizou-se como base o cenário 160. Os outros indicadores que compõe a evolução de rebanho foram mantidos constantes para todos os cenários, sendo eles: taxa de natalidade de 80%, idade ao acasalamento de 2 anos, taxa de lotação de 0,80 UA/ha para uma área total de 1000 ha num sistema de cria, bem como o valor de comercialização dos terneiros ao desmame de R$ 2,80 o kg vivo, independente da faixa de peso. O impacto produtivo foi verificado pelas diferentes taxas de desfrute em kg/ha/ano (kg de terneiros vendidos totais pela área total), e a diferença de receita obtida pelos diferentes pesos a desmama. Resultados e Discussão: A simulação de diferentes pesos a desmama, demonstra uma melhora na taxa de desfrute do rebanho, quando esse é analisado em termos de kg comercializados. Observa-se um incremento de 13,8 kg/ha de peso vivo, comparando-se os dois extremos de pesos analisados, 160 e 220 kg respectivamente. Na comparação do cenário 160, com o cenário 220, existe um acréscimo de 37,0%, o que significa em R$ um acréscimo bruto de R$ 36.785,60. Neste trabalho de simulação foram desconsiderados os custos necessários para atingir os pesos a desmama. Convém ressaltar que, com técnicas de manejo como cruzamento industrial creep-feeding, é possível alcançar pesos como o do cenário 220. Outro aspecto importante a considerar é que esses animais, sendo mais pesados a desmama receberão um valor maior na hora da comercialização. Conclusões: O aumento de peso de 160 para 220 gerou um incremento no desfrute, tanto em kg/ha quanto em R$/ha, aumentando a remuneração do sistema. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Vaca, Desfrute, Produtividade

Apontamentos

  • Não há apontamentos.