O Ensino Da LÍngua Portuguesa No NÍvel Fundamental Das Escolas Públicas De Jaguarão: Reflexões, Ensaios E A Possibilidade De Mudanças

Richieli Gonçalves De Brito, Carolini Gonçalves Vieira, Josséle Lima Vieira, Ida Maria Marins

Resumo


Introdução: Este projeto propõe a investigação da realidade do ensino de Língua Portuguesa das escolas públicas de Jaguarão para propor, a partir dos dados coletados e analisados, o desenvolvimento de ações, via projetos de extensão, que provocarão a reflexão e o exercício de pensar práticas inovadoras para o ensino da língua. Material e Métodos: Para que se possa conhecer o contexto escolar, a proposta pedagógica das escolas e principalmente as práticas desenvolvidas em relação ao ensino da língua portuguesa, serão utilizados os seguintes procedimentos: análise dos PPP (Projetos Político-Pedagógicos )de cada escola, aplicação de questionários com professores alunos entrevistas semi-estruturadas com professores. Os dados dos PPP, dos questionários e das entrevistas serão analisados a partir da chamada: triangulação dos dados, utilizando como referencial teórico a Teoria Enunciativa (dialógica ) de Bakhtin. Resultados e Discussão: No diagnóstico realizado do contexto escolar, as escolas justificam e atribuem o insucesso da aprendizagem dos alunos a fatores extra-escolares, como: famílias desestruturadas econômica e emocionalmente. No objetivo geral as escolas apresentam a tendência por uma concepção de educação emancipadora pois mencionam a importância de desenvolver ações que visem a formação de um aluno crítico, participativo, integrando-o à sociedade. Há, ainda, indicativos que apontam a possibilidade de diálogo entre universidade e escola quando é mencionado no PPP a necessidade de os professores estarem se atualizando, buscando inovar suas práticas pedagógicas. Além disso, as escolas se propõem desenvolver: atividades didático-pedagógicas diversificadas para tornar aulas mais atrativas, projetos interdisciplinares, encontros envolvendo a comunidade escolar: pais, alunos, professores, funcionários e reuniões entre professores para discutirem e trocarem experiências. Conclusões: Percebe-se por parte das escolas o desejo, que é traduzido nos PPP, de discutir e realizar práticas pedagógicas que promovam uma ruptura com os paradigmas tradicionais de ensino, através da elaboração de projetos, atividades diversificadas, trocas de experiências que possam atender a realidade das comunidades em que estão inseridas- numa perspectiva emancipadora de educação que compreende a necessidade de formar um aluno crítico/participativo na sociedade. No entanto, apesar de explicitarem propostas mais ousadas na elaboração de seu currículo, observa-se, pelos conteúdos programáticos, uma inconsistência entre o proposto no PPP e aquilo que efetivamente parece acontecer na sala de aula em relação ao ensino da língua materna: conteúdos que sinalizam o modelo tradicional de ensino da língua com ênfase na gramática. Nesse sentido, é necessário que a escola perceba o PPP como um processo permanente de reflexão e discussão em busca de alternativas viáveis à execução de suas intencionalidades, articulando os objetivos propostos de formar um cidadão crítico, participativo aos conteúdos disciplinares. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Língua Portuguesa, Ensino, Reflexões, Inovações

Apontamentos

  • Não há apontamentos.