Avaliação E Classificação De Desvios Fonológicos

Cristiane Lazzarotto Volcão

Resumo


Introdução: A teoria linguística tem permitido um avanço no entendimento das alterações da linguagem infantil. Especialmente nos casos de Desvios Fonológicos, nas duas últimas décadas, as pesquisas linguísticas avançaram de modo acelerado, permitindo avaliações e terapias mais eficientes e eficazes. Neste contexto, o presente trabalho tem como objetivo contribuir para a área da Fonologia Clínica, através da análise de sistemas fonológicos com desvios, a partir do modelo Padrão de Aquisição de Contrastes (PAC) (Lazzarotto-Volcão, 2009). Esse modelo permite a avaliação e classificação dos Desvios Fonológicos (DF) e foi concebido a partir de princípios lingüísticos universais, baseados em traços distintivos, (Clements, 2009) e de dados da aquisição fonológica normal do Português Brasileiro (PB) (Lamprecht et al., 2004). Material e Métodos: Foram analisados transversalmente os sistemas fonológicos de cinco crianças que apresentam DF, com idades entre 3:11 e 9:0, cujos dados integram o Banco de Dados em Aquisição Fonológica com Desvio, da Universidade Católica de Pelotas. Os dados lingüísticos foram analisados através da metodologia da Análise Contrastiva e através do modelo PAC. Resultados e Discussão: Os sistemas fonológicos das cinco crianças, integrantes deste estudo, foram caracterizados em termos de presença e ausência de contrastes fonológicos, conforme preconiza o modelo. Identificamos que os cinco sujeitos não atendem os princípios fonológicos universais, fato que caracteriza suas aquisições fonológicas como atípicas. Tais evidências não são encontradas na aquisição normal. Outro achado do estudo refere-se à capacidade do modelo PAC para mapear a construção da gramática da criança, apontar para possibilidades de reabilitação da linguagem e classificar o grau de severidade do desvio. Com isso, o modelo mostra-se mais adequado e completo, se comparado às metodologias que vêm sendo utilizadas na prática clínica atualmente. Conclusões: Concluímos que o modelo mostra-se adequado para a análise e classificação dos DF. Indo além, a proposta parece superar aquelas usualmente utilizadas na prática clínica de fonoaudiólogos. A partir dos achados desta pesquisa, é importante que novos estudos sejam realizados e que mais crianças sejam avaliadas a partir do modelo PAC, para que as evidências encontradas possam ser confirmadas e validadas. Orgão de Fomento: Capes

Palavras-chave


Fonologia, Desvios Fonológicos, Teoria Fonológica

Apontamentos

  • Não há apontamentos.