Avaliação De Ativos IntangÍveis: O Desafio Das Empresas Para MensurÁ-lo

Rafael Castoldi, José Larri De Freitas Pinto

Resumo


Introdução: O valor econômico de uma empresa é resultado da soma dos seus ativos tangíveis e intangíveis. Os ativos intangíveis, como as qualificações dos funcionários, a tecnologia da informação e os incentivos à inovação, por exemplo, podem desempenhar papel preponderante na criação de valor para a empresa. Os sistemas tradicionais de mensuração, não foram concebidos para lidar com a complexidade desses ativos, cujo valor é potencial e indireto dependendo do contexto. No entanto, justamente por ser abstrato e de difícil mensuração as empresas têm demonstrado dificuldade para mensurá-lo, gerenciá-lo e até mesmo reconhecer o seu valor. Esses ativos devem ser avaliados com extrema cautela, porque seu impacto sobre o destino de qualquer negócio é tremendo. Percebendo esse fato, muitos autores estão colaborando a partir da publicação de diversos estudos a fim de auxiliar as empresas a gerirem e mensurar os seus ativos intangíveis. O presente artigo visa identificar as dificuldades que as empresas encontram em realizar a avaliação de ativos intangíveis, em especial, o capital intelectual. Material e Métodos: No desenvolvimento deste ensaio, foi realizada uma análise teórica possibilitando a consideração dos mais variados aspectos relativos ao estudo, a fim de mencionar o atual cenário de dificuldades que as empresas encontram no tocante a avaliação desses ativos. Neste contexto, este estudo buscou realizar uma investigação científica demonstrando traços de amadurecimento do enfoque dos bens considerados intangíveis e que vem ganhando espaço e valor no segmento contábil. Resultados e Discussão: Existe uma metodologia desenvolvida por Sveiby (2000) para avaliação dos ativos intangíveis, que tem como objetivo criar um sistema de gerenciamento de informações para os gestores da empresa, que precisam conhecê-la, acompanhar a sua evolução e adotar medidas corretivas, quando necessárias.As avaliações dos ativos intangíveis são feitas para atender as necessidades de atendimento dos clientes, credores e acionistas ou para o uso dos gestores da empresa.Segundo Low & Kalafut (2003), para avaliar esses ativos o processo é o seguinte: determinação da finalidade, uso externo e/ou interno, a classificação dentro de uma das categorias de ativos intangíveis, que são: competência, estrutura interna e externa, formulação de uma estratégia para gestão do conhecimento, informações que deverão enfatizar o fluxo, a mudança e os dados de controle, comparação dos indicadores em relação aos anos anteriores, apresentação dos indicadores num quadro denominado de Monitor Ativos Intangíveis. Conclusões: Apesar das dificuldades encontradas na busca da mensuração desse grande ativo - que são relevantes e os resultados obtidos nesse estudo apontam para isso - a ciência contábil está procurando dar a sua contribuição em mais uma tarefa árdua de avaliação de todos os elementos que interagem sobre o patrimônio. Na verdade, as informações sobre o capital intelectual vêm a complementar as informações contábeis atuais. Por fim, a partir desse artigo, pode-se afirmar que o ideal seria criar regras mais detalhadas para a definição e registro dos ativos intangíveis, de forma a possibilitar que as empresas consigam com menor dificuldade avaliar e mensurar esse ativo e que possam realizar uma apresentação do patrimônio de maneira mais exata ou adequada possível, proporcionando comparações e embasando decisões gerenciais. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


ativos intangíveis, mensuração, tecnologia da informação, conhecimento, tangíveis

Apontamentos

  • Não há apontamentos.