Desvios Posturais Em Bailarinas ClÁssicas De 06 A 12 Anos De Uma EstÉtica Do MunicÍpio De Uruguaiana - Rs

Marília Do Carmo Guterrez, Loreanne Dos Santos Silva, Gilda Terezinha Morin Altermann

Resumo


Introdução: A prática de atividades físicas pode resultar em muitos benefícios à saúde do praticante quando corretamente realizada. Caso contrário, quando levada a certos limites, solicitando ao máximo dos músculos e tendões, ossos e articulações ela pode atuar como agente patológico sobre o aparelho locomotor. A prática do ballet clássico exige do aluno um adequado desenvolvimento dos componentes de aptidão física, sua técnica possui certa colocação do corpo que devem ser mantidos em todos os movimentos, levando ao máximo as potencialidades de equilíbrio, agilidade e movimento harmônico do corpo humano. Os desvios posturais, normalmente, começam a aparecer a partir dos 10 anos de idade onde as crianças já freqüentam a escola e tem sua postura afetada, muitas vezes, pelo peso de suas mochilas, falta de consciência corporal e consequentemente, maus hábitos posturais. Refletindo sobre estas questões, esta pesquisa tem como objetivo principal verificar a incidência de desvios posturais em bailarinas clássicas de 06 a 12 anos de idade, todas praticantes de uma estética do município de Uruguaiana. Material e Métodos: Esta pesquisa está caracterizada como descritiva transversal. instrumentos e materiais utilizados nessa pesquisa foram: um posturógrafo, caneta (do tipo hidrocor) e uma câmera fotográfica digital marca NIKON 5.0 megapixels. Inicialmente foi aplicada uma sondagem, contendo os dados de identificação das bailarinas. Desta forma, foram registradas em uma planilha todas as bailarinas que responderam à sondagem, destacando aquelas que aceitaram participar da pesquisa. Após, foram distribuídos os termos de consentimento livre e esclarecido, onde estava explicado o propósito da pesquisa, bem como a proposta de participação das meninas na mesma. Estes termos foram assinados pelos pais e/ou responsáveis. Foram realizadas as avaliações posturais. As alunas estavam devidamente vestidas em trajes de banho. Posteriormente à tabulação das avaliações posturais os responsáveis pelas meninas foram informados dos resultados através de um folder que foi dividido em 03 (três) partes: na primeira estavam explicados os tipos de desvios posturais com suas respectivas imagens; na segunda constavam os resultados das avaliações posturais e, na terceira parte, os hábitos posturais adequados a serem adquiridos no cotidiano. Resultados e Discussão: Os dados obtidos através da avaliação postural foram percentualizados e expostos em gráficos. A população desta pesquisa referiu-se ao número de 19 (dezenove) bailarinas e a amostra a 10 (dez) bailarinas. As alterações encontradas com maior freqüência na maioria das bailarinas foram a hiperlordose lombar (90%), triângulo de Tales assimétrico (90%) e ombros assimétricos (80%). As alterações de menor incidência foram hiperlordose cervical (20%) e joelhos genoflexo (20%). Nenhuma bailarina apresentou retroversão de quadril e pés aduzidos. Conclusões: De acordo com os resultados obtidos, pode-se concluir que todas as bailarinas avaliadas apresentaram algum desvio postural. Os únicos desvios não encontrados através das avaliações foram retroversão de quadril e pés aduzidos. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


desvios posturais, bailarinas clássicas

Apontamentos

  • Não há apontamentos.