AnÁlise De VariÁveis Psicomotoras Em Escolares Praticantes E Não Praticantes De Recreação Na Educação Infantil Do MunicÍpio De Uruguaiana – Rs

Dário Vinícius Ceccon Lanes, Karoline Goulart Lanes, Vanderlei Folmer

Resumo


Introdução: A criança gosta e necessita movimentar-se, e isto está relacionado a mudanças acentuadas ocorridas na primeira infância, sendo este um período decisivo para desenvolvimento individual. O movimento está relacionado com o desenvolvimento motor colocando em ação simultaneamente os domínios cognitivos e afetivos no comportamento infantil. Neste contexto, a recreação é toda atividade espontânea, divertida e criadora que as pessoas buscam para promover sua participação individual e coletiva em ações que melhorem a qualidade de vida e para satisfazer sua necessidade de ordem física, psíquica ou mental e cuja realização lhe proporciona prazer e alegria. Através da recreação, a criança pode facilmente familiarizar-se com a imagem do próprio corpo, pois brincadeiras são mediadoras do conhecimento e descobrimento das partes do mesmo. Este estudo teve como objetivo analisar variáveis psicomotoras em escolares entre 5 e 6 anos de idade, praticantes e não praticantes de recreação, de ambos os sexos no município de Uruguaiana. Material e Métodos: A amostra foi composta por 30 crianças, 15 da escola A e 15 da escola B. Para coletar os dados da pesquisa, foi necessária a apresentação do termo de consentimento, onde a direção das escolas e os responsáveis pelos alunos autorizaram a participação neste estudo. Após o pré-teste em ambas as escolas, foram ministradas aulas de recreação durante três meses na escola A, duas vezes por semana, com duração de 30 minutos. Ao final deste período, foram realizados os testes de equilíbrio estático, equilíbrio dinâmico, lateralidade, coordenação óculo-manual e coordenação óculo-pedal em ambas as escolas. Resultados e Discussão: Considerando os resultados do teste de equilíbrio dinâmico, constatamos uma melhora significativa, a qual pode ser devida aos exercícios utilizados durante as aulas de recreação. Atividades com dança e movimentos adaptados imitando animais, foram fatores preponderantes no melhor desempenho dessa variável em relação aos não praticantes de recreação. A comparação entre os testes, mostrou que os alunos que praticaram recreação apresentaram ainda a habilidade de Lateralidade mais desenvolvida, devido às atividades desenvolvidas nas aulas de educação física. Em relação à coordenação óculo-manual, constatou-se que a recreação contribuiu no desenvolvimento da coordenação motora fina, por possibilitar diversas formas de movimentos e brincadeiras. Outro aspecto a ser ressaltado são os movimentos manipulativos, vivenciados através de brinquedos construídos como bilboquê, espaço nave e fita para ginástica rítmica, por possuir uma importância no desenvolvimento da praxia fina. Referente a coordenação óculo-pedal os praticantes de recreação apresentaram resultados mais satisfatórios, isso pode estar relacionado as atividades propostas como manuseio de bola de gude com os pés, fazer bolinha de papel com os pés e futebol recreativo. Em relação ao teste de equilíbrio estático, os praticantes de recreação foram pouco superiores, isso pode estar relacionado ao fato de que quando estamos em pé nós desenvolvemos e aprimoramos o equilíbrio estático na idade entre 3 e 5 anos. Conclusões: A partir dos resultados obtidos, conclui-se que a recreação possa ser utilizada como alternativa no processo de aprendizagem motora, pois os aspectos avaliados foram mais desenvolvidos entre os alunos que a praticaram. Além disso, propõe-se que nessa idade é de fundamental importância que um profissional de educação física atue para orientar e estimular o desenvolvimento motor. Orgão de Fomento: Fapergs

Palavras-chave


Educação Infantil, Recreação, Variáveis Psicomotoras

Apontamentos

  • Não há apontamentos.