Expressão Da Enzima Tirosina Hidroxilase Aumenta A Resistência De CÉlulas De Neuroblastoma Humano Ao Estresse Oxidativo

Jeferson Luis Franco, Thais Posser, Alcir Luiz Dafre, Marcelo Farina

Resumo


Introdução: Neste estudo demonstramos que células de neuroblastoma humano SHSY-5Y transfectadas com a isoforma 1 da enzima tirosina hidroxilase (células SH+TH) foram substancialmente mais resistentes à morte celular induzida por peróxido de hidrogênio e 6-hidroxidopamina, quando comparadas às células SHSY-5Y selvagens (células SH). Material e Métodos: As células, mantidas em condições padrão de cultura, foram incubadas por 24 horas com peróxido de hidrogênio ou 6-hidroxidopamina (10-100 micromolar). Após este período a viabilidade celular, marcadores de apoptose, capacidade antioxidante e a atividade de enzimas antioxidantes, bem como a expressão da enzima tirosina hidroxilase e os níveis intracelulares de dopamina foram determinadas de acordo com protocolos pré-estabelecidos. Resultados e Discussão: As células SH+TH foram capazes de expressar tirosina hidroxilase e produzir dopamina. Não foi possível detectar a expressão de tirosina hidroxilase nas células selvagens. A incubação das células com peróxido de hidrogênio ou 6-hidroxidopamina (10-100 micromolar) por 24 horas causou uma redução significativa na viabilidade celular e aumentou a apoptose nas células SH e SH+TH. Entretanto estes efeitos foram significativamente menores nas células SH+TH. As células transfectadas com tirosina hidroxilase demonstraram uma maior capacidade em detoxificar peróxido quando comparadas com as células selvagens. Este efeito pôde ser correlacionado com um aumento significativo na atividade das enzimas antioxidantes glutationa peroxidase e glutationa redutase pelas células SH+TH. Conclusões: Os resultados deste estudo sugerem que a aumentada resistência ao estresse oxidativo apresentada pelas células transfectadas com tirosina hidroxilase está relacionada a um mecanismo de pré-condicionamento ligado aos aumentados níveis de dopamina. Este fenômeno pode, ao menos em parte, estar relacionado a um aumento na atividade de enzimas do sistema antioxidante da glutationa. Estudos futuros são necessários para elucidar os mecanismos moleculares precisos envolvidos neste fenômeno. Orgão de Fomento: CNPq

Palavras-chave


expressão gênica, estresse oxidativo, neuroblastoma, dopamina, tirosina hidroxilase

Apontamentos

  • Não há apontamentos.