Plantio De Amoreira (morus Nigra L.) Para Arborização De Espaço FÍsico Escolar Como Proposta De Educação Ambiental.

Clodoaldo Leites Pinheiro, Simone Braga Terra, Cátia Cilene Saraiva Avero

Resumo


Introdução: Espaços urbanos arborizados promovem a integração social da comunidade, pois possibilitam a socialização em um local agradável, seguro e acolhedor. A sombra é necessária ao bem estar das pessoas, da comunidade em geral, e para escola enquanto geradora de consciência crítica de responsabilidade sócio-ambiental. Espécies arbóreas vigorosas são indicadas a revegetação de áreas degradas, pois são pouco exigentes em qualidade de estrutura e fertilidade de solo. A capacidade de adaptação a solos pobres faz da amoreira uma alternativa a essências florestais comumente utilizadas na arborização urbana e de áreas perturbadas, pois se trata de uma espécie frutífera e pode ser facilmente propagada por estaquia, o que reduz o custo a zero em produção de mudas, além de possibilitar a abordagem de diversos tópicos ligados a educação ambiental em sala de aula de ensino médio e fundamental. Neste contexto o objetivo deste trabalho é arborizar o espaço físico ocioso da escola de Ensino Médio Professor Leopoldo Maieron CAIC com amoreira a partir de um diagnóstico ambiental e paralelo ao plantio e manutenção das mudas estabelecer o estudo da biogeoquímica e da ecofisiologia desta espécie implantada. Material e Métodos: Foram levantados dados sobre a situação ambiental e de arborização da escola a fim de elencar problemas e soluções. O trabalho de arborização foi desenvolvido através da pesquisa-ação, onde todos participam da construção de conhecimento (professores, pais, alunos, colaboradores e pesquisadores). Os materiais utilizados incluiram mudas de amoreiras, propagadas a custo zero, material digital (data show) em diversas palestras temáticas como: estrutura e fertilidade do solo, ciclagem de nutrientes, dormência, floração, frutificação e propagação de mudas. Resultados e Discussão: O CAIC enquanto instituição representada por seus alunos tem comportamento holístico no que se refere às funções das sombras das árvores no espaço físico e entorno escolar já arborizado, porém há uma lacuna de arborização na área de atividade de educação física desta escola. O diagnostico ambiental aponta o desconhecimento da flora arbórea e a necessidade de manutenção da ciclagem de nutrientes presentes nos ciclos biogeoquímicos. O uso da amoreira se deu pelo fato de ter crescimento vigoroso e tolerante a solo degradado ou sem estrutura e pelo fato de produzir frutos saborosos, que atraem a fauna local além de ser alimento para a comunidade escolar, há ainda a possibilidade de gerar subprodutos pelo processamento dos frutos in natura. Conclusões: O trabalho proposto possibilitou uma abordagem cognitiva e interdisciplinar enquanto proposta de educação ambiental com alunos de ensino médio da referida escola com custo de implantação e operacionalização zero. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


educação, sombra, frutífera, biogeoquímica, ecofisiologia

Apontamentos

  • Não há apontamentos.