Influência Da Luz Branca Na Superação Da Dormência Fisiológica De Sementes E Crescimento De Plantas De Alface (lactuca Sativa L.) Enquanto Abordagem DialÉticodialógica Em Sala De Aula No Ensino MÉdio.

Clodoaldo Leites Pinheiro, Antelmo Ralph Falqueto, Terrimar Ignácio Pasqualetto, Simone Braga Terra

Resumo


Introdução: Sementes de alface são altamente fotossensíveis. Mas, além da luz branca e da embebição, é preciso aquecimento para que ocorra a germinação, fenômenos que sempre ocorrem simultaneamente, pois a luz solar gera aquecimento. O fator luz é limitante no processo de superação da dormência fisiológica em sementes de alface, assumindo importância do ponto de vista agronômico no que tange à produção de mudas de qualidade. O fenômeno da dormência é comum em espécies de hortaliças, e constitui obstáculo natural que bloqueia a germinação das sementes logo após sua queda no solo. A germinação é a retomada do crescimento fisiológico do vegetal a partir da ativação de sucessivos mecanismos internos e circadianos. Em seguida, as folhas são emitidas e a planta, através dos complexos antena e centros de reação, converte a radiação solar em energia química. Em termos físico-químicos, sabe-se que fotocélulas convertem a luz solar em energia elétrica a partir de fitas de silício semicondutoras misturadas a outros componentes, como o fósforo e o boro, para aumentar a eficiência em produção de elétrons livres. A luz quando incide nas células fotovoltaicas é canalizada formando corrente elétrica. Analogamente, na célula vegetal, a luz também é canalizada, mas por outro tipo de estruturas, os centros de reação, os quais direcionam o fluxo de elétrons para as várias etapas bioquímicas seguintes, convertendo a luz em energia química. O objetivo deste trabalho foi abordar a superação da dormência fisiológica em sementes de alface a partir da exposição à luz branca e avaliar o funcionamento dos fotossistemas estabelecendo um paralelo entre aparatos biológicos e tecnologias atuais. Material e Métodos: Este trabalho foi realizado com alunos do ensino médio da Escola Estadual de Ensino Médio Leopoldo Maieron (CAIC - Bagé-RS). Sementes e mudas de alface (Lactuca sativa L.) foram utilizadas para estudar a fotossensibilidade e os mecanismos biológicos e físicos da mobilidade de elétrons nos fotossistemas a partir da abordagem do efeito fotoelétrico presente em vegetais e de tecnologias contemporâneas. Resultados e Discussão: O uso de sementes e mudas de alface, enquanto objetos de estudo, possibilitaram a abordagem da fotossensibilidade e fotossistema instigando os alunos sobre a presença de mecanismos análogos ao complexo antena e centro de reação. Desta problematização, os alunos tornaram-se sujeitos atores do dialogo construtivo ao questionar como, onde e por que ocorre eletricidade em vegetais. Conclusões: Esta atividade de baixo custo possibilitou a discussão da fisiologia vegetal a partir de enunciados da física moderna em sala de aula de ensino médio através de elementos do cotidiano, fazendo do aluno sujeito ator e crítico da própria construção de conhecimento. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


fotossistemas, fotocélulas, centro de reação, física, energia

Apontamentos

  • Não há apontamentos.