Infestação Da Margem E Leito Do Rio VacacaÍ No MunicÍpio De São Gabriel/rs Por Cephalanthus Glabratus.

Eduardo Costella, Bruno Alves Garcia, Valdir Marcos Stefenon

Resumo


Introdução: Uma floresta ciliar está sujeita a distúrbios naturais e antrópicas que, na maioria das vezes, é o que prevalece, comprometendo a situação da área afetada como é o caso da mata ciliar da área do curso urbano do Rio Vacacaí em São Gabriel/RS. Nesta região, o problema vem se agravando devido à extração de areia das margens do rio, provocando assoreamento, e também à infestação pela espécie Cephalanthus glabratus (sarandi vermelho), espécie nativa do sul do Brasil, Paraguai, Uruguai e nordeste da Argentina. Em decorrência das mudanças no ambiente, esta espécie apresenta um aumento acelerado na sua dispersão pelo leito bem como pelas margens do rio. Material e Métodos: As matas ciliares são importantes corredores ecológicos, mas se não manejadas podem ocasionar vários problemas, como é o caso da área estudada, onde o foco do problema esta relacionado à extração de areia da margem do rio e a conseqüente invasão de C. Glabratus. Nas áreas de estudo, a espécie já se encontra amplamente dispersa, sendo encontrado em 80 a 90% da extensão do rio, afetando diretamente a quantidade e a qualidade da água e conseqüentemente a biota aquática e a população humana.Dados relacionados a espécies maléficas ao rio e à população, foram obtidos em um levantamento realizado diretamente com a comunidade ribeirinha, areieiros e com autoridades municipais, buscando-se a causa pela qual a espécie se tornou invasora e discuindo-se formas de desenvolver um manejo adequado que possa conter o avanço de C. Glabratus de forma considerável, evitando a obstrução total do leito do rio e o avanço das águas junto a comunidades ribirinhas. Resultados e Discussão: Através de levantamentos in loco, feitos diretamente junto ao curso do rio, acompanhados por areireiros e autoridades municipais pode-se levantar os possíveis responsáveis pela rápida propagação e enraizamento da espécie que hoje toma conta de aproximadamente 90% do total da área de encosta e 50% do leito do rio, podendo-se observar obstrução total em alguns pontos. Os possíveis responsáveis pela rápida propagação do C. glabratus seriam a alta concentração de matéria orgânica e coliforme fecais presentes na água, devido a presença do esgoto da cidade. Outro fator que possivelmente contribui para a rápida disseminação do C. glabratus nessa região é o problema ocasionado pela água fértil que é retirada do cultivo do arroz e liberada diretamente no leito do rio ao decorrer de sua extensão. A dispersão de galhos pelo leito do rio devido ao corte de plantas da margem ou do leito, acaba por gerar novos “bancos de sarandi no leito do rio”, acelerando o processo de obstrução do leito navegável do mesmo.Ao mesmo tempo, observa-se a mudança do nível do rio. Assim, com o leito do rio sempre baixo o sarandi passou a se fixar no chão com mais facilidade, também não esta mais sofrendo com períodos que em, tempos passados, se encontrava recoberto pela água, que fazia com que ocorre-se diminuição do seu metabolismo e redução de sua proliferação. Conclusões: O conhecimento dos aspectos hidrológicos da área estudada é de suma importância na elaboração de um projeto de recuperação de mata ciliar. Sendo que o alto índice de dispersão da espécie passa a ser uma grande preocupação, porém, possível de ser controlado através do controle da entrada de água de lavouras de arroz, retirada de esgoto urbano, e cuidado na desobstrução do leito manejando corretamente o material retirado. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


sarandi vermelho, espécies invasoras, controle, manejo de florestas nativas

Apontamentos

  • Não há apontamentos.