Histórico De Utilização De EspÉcies Arbóreas Da Mata Ciliar Do Rio VacacaÍ No MunicÍpio De São Gabriel/rs.

Ana Carla De Oliveira Gindri, Eduardo Costella, Nájila Rocha, Valdir Marcos Stefenon

Resumo


Introdução: São Gabriel possui como principal recurso hídrico o Rio Vacacaí, sendo este de fundamental importância para a população ribeirinha, que utiliza seu leito para a extração da areia. Durante toda a história de São Gabriel as margens do rio foram exploradas e modificadas sem o devido cuidado com as questões ambientais. Por esta razão, o trabalho de identificar os recursos vegetais de maior valor para a região e estudar a interação das comunidades ribeirinhas com o mundo vegetal em suas dimensões antropológica, ecológica e botânica, é importante para a preservação e conservação deste ecossistema, além de manter o sustento dos moradores da região, de uma maneira sustentável. Este trabalho objetivou realizar um estudo etnobotânico junto à população ribeirinha da extensão urbana do rio Vacacaí, além de entender a importância do rio para a população e identificar os usos das principais espécies arbóreas da região. Material e Métodos: A área de estudo foi a bacia do Rio Vacacaí no Município de São Gabriel/RS. Foram aplicados questionários etnobotânicos semi-estruturados junto aos ribeirinhos, sendo entrevistadas 40 pessoas em quatro localidades diferentes. O questionário constou de questões relacionadas às espécies de maior ocorrência, sua utilização, bem como espécies consideradas prejudiciais ou novas na mata ciliar, expondo a importância da flora local. Foram feitas coletas de material vegetativo para a confecção de exsicatas e conservação genética das espécies in vitro. A coleta foi realizada para as espécies que apresentavam condições adequadas devido à época de estudo. Resultados e Discussão: Foram citadas 35 diferentes espécies de plantas pelos entrevistados. A vegetação arbórea é utilizada pela comunidade ribeirinha para diversas finalidades como: para lenha, para fabricação de cabos de ferramentas, uso medicinal, para coleta de frutos e em alguns casos como ornamental. Pode-se constatar que existem espécies que se encontram em toda a extensão da mata ciliar, como a Eugenia uniflora (pitangueira), a Guettarda uruguensis (ingá banana) e a Campomanesia rhombea (guabiroba- do -mato), que foram citadas por 80% dos entrevistados e são utilizadas para todas as finalidades mencionadas. A espécie mais citada é o Cephalanthus glabratus (Sarandi vermelho), considerada prejudicial por 95% dos entrevistados, por estar obstruindo o leito e as margens do rio, mudando assim o curso das águas e aumentando as áreas de inundação nos tempos de cheia. Outro dado importante é o desaparecimento da espécie Vitex megapotamica (Tarumã), que sempre foi usada pelos moradores devido à madeira de alta qualidade e resistência. Este talvez seja o principal motivo para o seu desaparecimento em função de que não ocorreu qualquer preocupação em termos de manutenção e reposição da espécie. Conclusões: Pode-se concluir que o uso de algumas espécies foi feito de forma intensiva, sem os devidos cuidados com o manejo para sua manutenção, em contrapartida algumas espécies presentes não tem grande importância sendo pouco úteis e assim passando a predominar no local sendo consideradas prejudiciais. A manutenção de espécies passa a ser uma peça chave para a manutenção da diversidade, sendo necessário um plano de manejo onde se realize coleta de sementes ou partes vegetativas para produção de mudas enfatizando a recuperação da área, conservação e propagação in vitro. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Etnobotânica, Manejo de Florestas Nativas, Reposição, Ribeirinhos

Apontamentos

  • Não há apontamentos.