Avaliação De Panicum Maximum Na Região Da Campanha Do Rio Grande Do Sul

Éder Rodrigues Peres, Josiane Jardim Martins, Daniel Portella Montardo, Liana Jank

Resumo


Introdução: O Panicum maximum é uma gramínea forrageira perene de verão com hábito de crescimento ereto na forma de touceiras. É amplamente cultivada em regiões de clima tropical, por sua grande capacidade de produção de forragem, com boa qualidade. Atualmente é utilizada em quase todo o território nacional, exceto nas regiões mais frias, pois não tolera muito bem o frio e a geada. A Embrapa Gado de Corte (Campo Grande, MS) conduz um programa de melhoramento genético da espécie, já tendo lançado várias cultivares. Como o P. maximum apresenta elevado potencial de utilização também no Rio Grande do Sul, e como a Embrapa dispõe de amplo germoplasma, esse experimento foi implantado na Embrapa Pecuária Sul, em Bagé, RS, com o objetivo de avaliar diferentes linhagens e cultivares quanto ao comportamento produtivo e à persistência ao inverno. As cultivares testadas foram Mombaça, Massai, Tanzânia e Milenium, juntamente com 18 linhagens. Material e Métodos: O experimento foi implantado em 27 de fevereiro de 2008, em delineamento de blocos ao acaso com 3 repetições, em parcelas constituídas por 6 linhas de quatro metros de comprimento, espaçadas entre si por 30 cm. Foram avaliadas a produção de matéria seca total e de folhas, através de cinco cortes a 25 cm de altura realizados nas seguintes datas: 07 de maio e 17 de dezembro de 2008, 18 de fevereiro, 24 de março e 25 de maio de 2009. Após os cortes as amostras eram pesadas e subamostradas para posterior separação morfológica, quando então eram colocadas em estufa a temperatura de 60°C até peso constante, sendo os valores finais expressos em kg de MS Total e de MS de Folhas por hectare. Os dados foram tabulados e submetidos a análise de variância em esquema de parcela subdividida no tempo, sendo as médias de tratamentos comparadas entre si pelo teste de Duncan a 5%. Resultados e Discussão: Houve interação entre cortes (tempo) e tratamentos para a variável matéria seca total, onde as linhagens PM 41 e PM 43 destacaram-se entre os melhores tratamentos em todos os cinco cortes. Dentre as cultivares já lançadas, a Milênio foi a que se destacou positivamente, apresentando produções que variaram de 1.445 a 2.472 kg de MS/ha por corte. Por sua vez, a cultivar Massai e a linhagem PM 44 se destacaram negativamente, pois não toleraram o primeiro inverno e morreram, não registrando produções de forragem a partir do segundo corte (17 de dezembro de 2008). Com relação a produção de matéria seca de folhas não ocorreu interação entre cortes (tempo) e tratamentos. A linhagem PM 41 apresentou a maior produção de folhas (12.818 Kg/ha no total dos 5 cortes), diferindo-se de praticamente todos os demais tratamentos. Além dessa, a linhagem PM 30 também apareceu entre os melhores tratamentos, indicando uma elevada relação folha/caule. Novamente, entre as cultivares, a Milênio se destacou como a melhor. Conclusões: Podemos concluir que, entre as cultivares de Panicum maximum da Embrapa já disponíveis, a cultivar Milênio é a mais indicada para utilização na região da Campanha e, de forma geral, nas regiões de temperaturas mais baixas do Rio Grande do Sul, pois alia boa persistência ao frio e elevada produção de forragem. Além disso, a análise inicial do germoplasma existente no programa de melhoramento da Embrapa permite afirmar que existe potencial para o lançamento de novas cultivares ainda melhores. Orgão de Fomento: Embrapa Pecuária Sul

Palavras-chave


Panicum maximum, produção, linhagem, persistência, cultivar

Apontamentos

  • Não há apontamentos.