Produtividade Do Pimentão (capsicum Annuum L) Com Diferentes Fontes De Adubação Orgânica

Herton Chimelo Pivoto, Rodrigo Dos Santos Godoi

Resumo


Introdução: O pimentão (Capsicum annuum L.) está entre as dez hortaliças mais importantes do mercado brasileiro. Essa cultura é bastante exigente quanto às características químicas e físicas do meio de cultivo e responde de forma satisfatória à adubação orgânica. O emprego de adubos orgânicos de origem animal pode tornar-se uma prática vantajosa para os pequenos e médios produtores, pois, essa contribui para a estruturação do solo e redução do custo de produção por meio do aproveitamento dos recursos existentes na propriedade (GALVÃO et al., 1999). O trabalho teve por objetivo determinar a produtividade de frutos de pimentão com diferentes fontes de adubação orgânica. Material e Métodos: O experimento foi realizado de março a setembro de 2009, em casa de vegetação tipo arco pampiano com 500 m2, localizada no IF Farroupilha, Campus São Vicente do Sul. O material vegetal empregado foi o híbrido Brutus. Os tratamentos foram cama de aviário, fertilizante orgânico Ferticel e adubação convencional com NPK. A parcela foi constituída de 36 plantas, com densidade de duas plantas por m2. No tratamento convencional a adubação foi feita segundo recomendação da análise de solo e as exigências da cultura, sendo fornecido no preparo do solo 40 g/m2 de NPK na formulação 5 20 20. Nos tratamentos orgânicos o solo foi preparado segundo (CLARO, S. A., 2001). Para o tratamento com cama de aviário utilizou-se 2000 g/m2 de cama, 180 g/m2 de fosfato natural e 200 g/m2 de cinza. Para o tratamento com Ferticel utilizou-se 800 g/m2 do produto, 180 g/m2 de fosfato natural e 200 g/m2 de cinza. Foi feita adubação de cobertura segundo (CLARO, S. A., 2001), onde aos 25, 45, 60, 80 e aos 110 DPT, foi aplicado um litro de biofertilizante Biobov por planta para os tratamentos cama de aviário e Ferticel. No tratamento convencional foram aplicados 34 gr/m2 de uréia aos 20 e 40 DPT. As mudas foram produzidas em bandejas de isopor e aos 35 dias após a semeadura foi efetuado o transplante para o local de cultivo definitivo. As colheitas foram realizadas a partir dos 90 DPT, quando os frutos apresentavam coloração verde brilhante. Foi contado o número de frutos por planta e medida a massa fresca de frutos. Foi empregado o DBC, com três repetições. Os resultados foram submetidos a uma análise de variância e comparação de médias pelo teste de Tukey a 5%. Resultados e Discussão: Os resultados demonstraram que não houve diferença significativa entre os tratamentos. O peso médio dos frutos foram 277,2g para cama de aviário, 258,0g para Ferticel e 287,4g para adubação convencional. Médias essas superiores as encontradas por Peixoto et al. (1999) com 165,0 g e Silva et al. (2003) com 161,0 g para outros híbridos de pimentão. O número de frutos comerciais por planta foi 7,9, 8,0 e 7,5 para cama de aviário, Ferticel e convencional, respectivamente. Essas médias são menores que as encontradas por Souza (1992) e Paes (2003) de 9,91 e com 9,0, respectivamente avaliando número de frutos totais. A não existência de diferença significativa entre os tratamentos pode ser explicada pelo fato de que o solo onde foi implantado o experimento encontrava-se com alto teor de matéria orgânica e níveis elevados de macronutrientes. Isso pode ter condicionado para ambos os tratamentos, um ótimo crescimento e desenvolvimento das plantas, refletindo em maior peso fresco de fruto. Conclusões: Os resultados preliminares demonstraram que tanto a cama de aviário como fertilizante orgânico Ferticel podem ser empregados, de forma satisfatória, como fonte de adubação do pimentão. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


pimentão, adubação orgânica, Capsicum annuum L

Apontamentos

  • Não há apontamentos.