Rendimento De Carcaça E Cortes Comerciais De Frangos De Corte Abatidos Em Duas Idades

Luciane Nunes Pereira Suñé, Letícia Portela Rossi, Lídia Maria Severo, Anna Luisa Gisler Maciel

Resumo


Introdução: O aumento constante da demanda mundial por alimentos, impulsiona as pesquisas no campo da genética visando a obtenção de produtos mais eficientes. Isso pode ser evidenciado na avicultura, onde a busca de linhagens melhoradas, a fim de obter maior rendimento em menor espaço de tempo, é uma realidade. As aves de corte vem sendo abatidas em várias idades, variando de acordo com o produto desejado: sendo leves ou pesadas, inteiras ou pedaços. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o rendimento de carcaça e de cortes comerciais de frangos de corte abatidos em duas idades, em relação ao peso vivo. Material e Métodos: O experimento foi conduzido no aviário e no abatedouro do Centro de Ciências Rurais da Universidade da Região da Campanha, em Bagé-RS. Foram criadas 40 aves de linhagem industrial para corte; as aves recebiam água e ração à vontade e 24 horas de luz. Foram mensuradas em duas idades diferentes, o peso vivo, o rendimento de carcaça e o rendimento dos cortes comerciais, coxa, sobre coxa, peito e asa, em relação ao peso vivo da ave. Resultados e Discussão: O primeiro lote de 15 animais foi abatido aos 90 dias de idade onde os resultados obtidos foram: peso vivo 5,18±0,38kg, rendimento de carcaça 82,36±1,9%, rendimento da coxa de 9,97±1,04%, da sobre coxa de 12,21±1,15%, do peito 26,39±2,22% e da asa 8,2±0,5%. Aos 105 dias outro lote de 15 animais foi abatido e os resultados foram: peso vivo 6,27±0,42kg, rendimento de carcaça 82,04±1,66%, rendimento da coxa de 9,87±0,5%, da sobre coxa 12,74±0,66%, do peito 27,72±2,62% e da asa 8,28±0,72%. A literatura mostra diferenças entre linhagens quando se avaliava o rendimento dos diversos cortes comerciais de aves com a mesma idade. Já as mesmas linhagens avaliadas em carcaças inteiras, não apresentavam diferenças significativas. No presente experimento não evidenciou-se diferença estatística quanto ao ganho de peso nas diferentes idades, mas não foram evidenciada diferenças no que se refere a rendimento dos cortes comerciais entre as idades. Conclusões: O que leva a concluir que, nas idades avaliadas, o crescimento corporal dos cortes comerciais das aves se deu de forma proporcional ao desenvolvimento corporal. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


rendimento, cortes comerciais, carcaça

Apontamentos

  • Não há apontamentos.