Propagação De Estacas De Vime Tradicional Em Diferentes Substratos

Claudete Izabel Funguetto, Eloir Missio, Luis Felippe Rodrigues De Souza

Resumo


Introdução: O vime tradicional (Salix x rubens) é uma planta versátil, utilizada no artesanato, na movelaria, no paisagismo, na indústria farmacêutica (salicina), na fitoterapia e na perfumaria. O emprego do vimeiro em preparados homeopáticos no tratamento de plantas surge como um novo método de tecnologias limpas, diretamente demandadas pelos sistemas orgânicos de produção, além de apresentar potencial como planta para descontaminação ambiental, na recuperação de áreas degradadas. Introduzido no Brasil pelos imigrantes italianos há mais de meio século para utilização como amarração nos parreirais do Sul do país, atualmente constitui um importante cultivo para agricultores familiares do Planalto Sul Catarinense, sendo que cada hectare ocupa de forma direta, aproximadamente, 7 pessoas por ano, incluindo os artesãos. Por ser uma planta com múltiplos usos e potencial promissor, justifica-se a constante condução de estudos envolvendo tecnologias de produção. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o comportamento de estacas de Salix x rubens em três diferentes composições de substratos. Material e Métodos: Foram utilizadas estacas medindo 30cm de comprimento, com diâmetro médio de 8,90mm, empregando corte plano na extremidade superior e corte em bisel na inferior. Foram utilizadas somente porções do terço mediano e o material foi selecionado a partir de varas coletadas de plantas-matrizes provenientes de Rio Rufino-SC. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, sendo testadas três composições: T1) Composto orgânico 2 : Plantmax® 1; T2) Composto orgânico 2 : vermiculita 1; T3) Composto orgânico 2 : turfa 1, com quatro repetições e dez estacas por parcela. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey ao nível de 5 % de probabilidade. As estacas foram plantadas na posição vertical em tubetes tamanho grande e mantidas em estufa com nebulização intermitente. Aos 35 dias após a instalação do experimento as estacas foram retiradas dos tubetes e lavadas, avaliando-se os seguintes parâmetros: percentual de sobrevivência, número de brotos por estaca, peso da biomassa seca das folhas e peso da biomassa seca das raízes. Resultados e Discussão: Houve 100% de sobrevivência em todos os tratamentos. A análise do número de brotos por estaca mostrou resultados significativamente superiores no tratamento 2 e diferença pouco significativa entre os dois outros tratamentos. No entanto, quando da avaliação da biomassa seca dos brotos e das raízes, foram constatados melhores resultado no tratamento 1. Além disso, foi observado visualmente o amarelecimento das folhas no tratamento 3. Conclusões: A partir da análise do conjunto de resultados, pode-se inferir que o substrato contendo a proporção de duas partes de composto orgânico e uma parte de vermiculita apresenta maior viabilidade para ser utilizado na propagação vegetativa de vime tradicional. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Salix x rubens, desempenho vegetativo, descontaminação ambiental, recuperação áreas degradadas, paisagismo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.