"sonhar É Preciso": O Voluntariado Como Recurso Da Formação Profissional Em Saúde

Caroline Dalla Colletta Altermann, Maiana Pinheiro Dos Santos, Vilma Constancia Fioravante Dos Santos, Taianis Paiva Ribeiro, Neila Santini De Souza

Resumo


Introdução: O estado de vulnerabilidade social que se encontra determinada parcela da população infantil, nos remete a questões como o perverso aspecto da escassa disponibilidade de recursos humanos e financeiros, bem como, ao não-acesso à saúde, lazer e cultura (UNESCO, 2002). Partindo-se do princípio que construímos e apreendemos conhecimento a partir da realidade social que nos rodeia, entende-se que o trabalho voluntário é uma ação que pode ser mediadora na condução das questões sociais e práticas de política públicas, com capacidade de gerar transformações, na busca da justiça como resgate da dignidade do ser humano (Bavaresco, 2004). Por meio de experiências anteriormente vivenciadas na realidade local de um município do interior do Estado do Rio Grande do Sul, percebeu-se que crianças em situação vulnerabilidade possuem dificuldades em sua capacidade abstrata de sonhar. Assim, pensando-se em crianças institucionalizadas, como no Centro de Atenção à Criança e ao Adolescente de Uruguaiana (CACAU), formulou-se o Projeto intitulado “Sonhar é Preciso”, objetivando o desenvolvimento de ações sócio-educativas, respeitando os valores éticos e culturais das crianças institucionalizadas. Por meio das ações desenvolvidas nesta instituição, pretende-se resgatar e promover a auto-estima e a identidade, o respeito às diferenças, a criatividade, ludicidade, solidariedade, integração, participação e inclusão social, fortalecendo valores sociais. Material e Métodos: Este projeto foi proposto por acadêmicos dos cursos de Enfermagem e de Fisioterapia da Universidade Federal do Pampa sendo executado em Parceria com a Organização não-governamental (ONG) Parceiros Voluntários. O público-alvo deste projeto são crianças institucionalizadas no CACAU. Preconiza-se, que por meio de brincadeiras, resgatar nas crianças sua cidadania, utilizando-se as estratégias das oficinas, grupos, leituras de contos, dinâmicas e rodas de conversa. Ao mesmo tempo, se estimulará o trabalho em grupo, o respeito aos direitos e o espaço do outro. Resultados e Discussão: Acredita-se que a realização do trabalho voluntário proposto, contribuirá positivamente para a formação do profissional da área de saúde, incitando o mesmo a refletir acerca da realidade que envolve o contexto social que é comum a todos os indivíduos da sociedade. O processo formativo de todo profissional da saúde é constituído a partir das vivências de distintas situações nos mais variados contextos da prática profissional, ocasionando uma melhor qualidade de assistência em saúde, pois para qualificar a prática profissional é importante ter o conhecimento minucioso do campo de atuação. Acredita-se que, ao compartilhar e construir o conhecimento com as crianças e adolescentes institucionalizados, pode-se estimular a capacidade de os mesmos sonharem. O sonho passa a ser o futuro propulsor da determinação e da coragem para mudar o contexto social, mobilizando os indivíduos em formação ao exercício da cidadania. Conclusões: Possibilita-se por meio do voluntariado, despir-se do individualismo, que não permite ver o outro como parte daquilo que almejamos ser. Considera-se a importância de trabalhar com a ludicidade junto às crianças e adolescentes, visto que, temos a necessidade de ampliar e fortalecer suas potencialidades e valores para que ela mesma se descubra como um ser humano altamente capaz de mudar, de aprender, de crescer e de evoluir. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Criança e Adolescente, Institucionalização, Formação em Saúde, Cidadania, Voluntariado

Apontamentos

  • Não há apontamentos.