Promoção Em Saúde Mental E Prevenção Do Uso Do Crack Na Escola Municipal De Ensino Fundamental Moacir Ramos Martins, Uruguaiana/rs

Elisandra Plate Da Fontoura, Beatriz Franchini, Ana Eliza Rodrigues, Flávio Rodrigues, Michele Leguiça De Paula

Resumo


Introdução: Trata-se de um Projeto de Extensão desenvolvido na Escola Municipal de Ensino Fundamental Moacir Ramos Martins situa-se no Bairro União das Vilas. Para participarem do Projeto foram selecionados alunos com alguma dificuldade de adequação e comportamento, problemas de aprendizagem, agressividade e risco de evasão escolar. Estes alunos, em sua maioria, recebiam algum tipo de estigma dentro da escola, sendo considerados alunos-problema e que não teriam um futuro diferente da marginalidade. A proposta deste Projeto de Extensão seria de acompanhar estes alunos através de oficinas semanais a fim de tentar buscar uma ressignificação de seu papel social, buscando uma melhoria de sua auto-estima e com isso a prevenção e promoção de saúde mental e cidadania.Os alunos acompanhados por este Projeto de Extensão foram subdivididos em grupos pequenos, de preferência por idade, a fim de proporcionar melhor aproveitamento das atividades e melhor oferta de apoio aos mesmos. Nestes pequenos grupos estão sendo realizados Oficinas de Teatro, expressão corporal, atividades lúdicas, artesanato livre, exibições de filmes e rodas de conversa. Estas atividades são realizadas pelos acadêmicos bolsistas com o intuito de reviver situações conflituosas do cotidiano dos alunos e promover a sua discussão e reflexão, bem como oportunizar a livre expressão de sentimentos, bem como nas rodas de conversa e apresentação de temas para discussão por eles trazidos. Material e Métodos: Relato de Experiência a partir da observação participante e anotação em Diário de Campo. Resultados e Discussão: Atualmente através das oficinas realizadas no pequeno grupo, pelo projeto de extensão, estamos percebendo que estes alunos estão mais receptivos as atividades propostas. Pois, anteriormente, houve alguma resistência, por parte dos alunos, mas no decorrer das atividades passaram a interagir e aceitando as propostas. Nossa primeira impressão destas atividades, é que um dos aspectos de tal resistência seria a timidez natural, uma desconfiança relacionada ao projeto em si e seu objetivo. Fato este que ocorreu também nas primeiras aulas de Capoeira, onde os alunos perguntavam “por que nós?”. Em uma das atividades, Mímica de Filmes (Expressão Corporal-Interação entre o Grupo), um dos alunos não queria participar por não conhecer muitos filmes, talvez por não ter acesso aos bens de consumo, sentindo-se constrangido. Este fato demonstra que muitas vezes o aluno se isola ou transgride por ser constrangido pela sua situação social. Na semana seguinte o mesmo aluno voltou mais participativo e motivado, interagindo de forma evidente no grupo. Sua atenção estava concentrada na atividade que era de recorte e colagem, com vista a reflexão sobre futuro, de como poderia ser a União das Vilas, a vida profissional, casamento, sexo, diversão entre outras. Conclusões: Conclui-se que a universidade com projetos de pesquisa, ensino e extensão tem um papel fundamental que de construir conhecimentos em contato com a comunidade. Pois, seu objetivo como instituição formadora, é capacitar profissionais a compreender os problemas sociais dos quais farão parte de seu futuro profissional. Assim, entendendo que neste projeto o contato com os alunos poderá nos proporcionar esta formação voltada para comunidade e inserção em seus problemas efetivos. Já para os alunos da escola temos a intenção de levar atividades que proporcionem a reflexão de suas realidades e a possível transformação desta. Orgão de Fomento: PBDA

Palavras-chave


Saúde Mental, Educação, Pequeno Grupo, Prevenção ao uso do Crack, Inclusão Social

Apontamentos

  • Não há apontamentos.