Quantificação Das EspÉcies Arbóreas-arbustivas Encontradas Nas Áreas Urbanizadas Do Campus Uruguaiana - Pucrs, Rs Brasil.

Solange Barros Da Graça, Raquel Carvalho Leão, Carlos Roberto Martins, Vicente Rodrigues Simas, (mariluci Souza Disconzi

Resumo


Introdução: A PUCRS - Campus Uruguaiana, localizado ao sul do município (29° 50’ 15,08’’ S e 57° 06’ 1,06’’ W) com uma área total de 250 ha, apresenta várias áreas verdes constituídas principalmente de árvores e arbustos. A arborização urbana é um quesito importante para proporcionar um ambiente físico saudável e está relacionada com a presença de espécies vegetais em espaços públicos como parques, ruas, avenidas, jardins e praças. Atua também sobre o conforto humano no ambiente por meio das características naturais das espécies, sendo desta maneira, um tema que vem se destacando nas discussões sobre os problemas das cidades, na busca de maior qualidade de vida para a população. Diante dessa perspectiva, a melhoria da arborização nas Instituições de ensino e a conscientização ambiental da comunidade local e escolar, estão relacionadas ao grau de satisfação encontrado na vida familiar, social e ambiental. O presente trabalho teve como objetivo analisar quantitativamente a arborização das áreas urbanizadas do Campus – Uruguaiana. Material e Métodos: A identificação dos vegetais foi realizada in locu, o material foi coletado e levado ao laboratório de botânica para ser identificado através bibliografias especializadas e chaves sistemáticas. Resultados e Discussão: Até o momento foram identificadas 76 espécies, 40 famílias com predominância das Fabaceaes, Myrtaceaes e Apocynaceaes, sendo 51 árvores, 25 arbustos, dentro destas 44 são exóticas e 32 nativas. A família Leguminosa - Fabaceae foi à com maior número de representantes, sendo a espécie de maior ocorrência a Tipuana tipu (Benth.) com total de 104 exemplares, seguida da espécie Grevillea robusta (A. Cunn.) com 97 e Ligustrum lucidum (W.T. Aiton.) com 52 exemplares. Quanto à utilidade, tem ocorrência de espécies tóxicas, comestíveis, ornamentais e medicinais. A presença de áreas verdes em ambientes urbanos é de extrema importância, considerando-se fatores como a preservação da biodiversidade e contribui para o aumento da flora brasileira cultivando espécies exóticas. Conclusões: O Campus Uruguaiana apresenta grande diversidade de espécies que beneficiarão a comunidade, pois, muitas vezes a falta de conhecimento leva a um uso de espécies prejudicando estruturas públicas, ameaçando o bem estar da população, visto que muitas espécies podem causar alergias, além de não proporcionarem os benefícios psicológicos propostos quando não estão distribuídas harmoniosamente. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Arborização urbana, Ambiente físico, Preservação da biodiversidade

Apontamentos

  • Não há apontamentos.