O Serviço Social E A Promoção Da Cultura De Paz

Monique Soares Vieira, Evelise Freire De Azambuja, Mariela Aurora Dos Santos Sasso, Zuleica Matte Dutra, Simone Barros De Oliveira

Resumo


Introdução: O seguinte trabalho tem por objetivo refletir a contribuição do serviço social para a construção da cultura da paz por meio do exercício profissional pautado pelos princípios éticos profissionais. O mesmo é fruto de reflexões desenvolvidas na disciplina “ comunicação, violência e cultura de paz” do curso de serviço social da universidade federal pampa/unipampa. Se propõe oportunizar reflexão sobre os princípios norteadores da práxis profissional, que sinalizam a construção de uma nova ordem societária, que contemple a justiça e a eqüidade social, respeito à diversidade, reconhecimento da liberdade, defesa dos direitos humanos e aprofundamento da democracia. Material e Métodos: A disciplina em que se desenvolvem as reflexões e contribuições aqui propostas,vem provocar por meio de seminários e debates em sala de aula novas formas de atuação do serviço social. Propõe por meio da atuação prática e partir dos princípios éticos políticos que direcionam o exercício profissional, intervenções direcionadas ao enfrentamento e prevenção da violência por meio da educação para uma cultura de paz. No intuito de romper com qualquer expressão de desigualdade econômica, política e social, partindo em busca da desfragmentação do sistema capitalista, que objetiva a exploração do homem e que subsidia a miséria e a compilação das relações sociais. Resultados e Discussão: A interface da cultura da paz com a práxis profissional do serviço social otimiza uma reflexão crítica da ação profissional do assistente social, bem como o seu compromisso na construção de uma sociedade mais justa. Evidencia-se assim a necessidade social deste profissional que tem como competência da sua ação, o desvelar de uma realidade contraditória, contextualizada pelo abandono de seus cidadãos mais necessitados, às intempéries de um sistema egoísta e excludente onde as oportunidades de subsistência pacífica (sem violência) são praticamente inexistentes. Conclusões: Por fim, este trabalho subsidiará um diálogo crítico da ação profissional do assistente social como promotor e articulador da cultura de paz na sociedade brasileira. Assim inferindo a interface entre a cultura de paz e a práxis do serviço social, objetivada pelos seus valores éticos e princípios políticos norteadores que sinalizam a construção de uma nova ordem societária mais justa e igualitária, onde os indivíduos sejam reconhecidos como sujeitos de direitos, através do compromisso assumido pela categoria profissional no projeto ético político. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Serviço Social, Prática Profissional, Cultura de Paz

Apontamentos

  • Não há apontamentos.