As Ciências Sociais Construindo A Integralidade No Profissional De Saúde Em Formação

Bruna Furtado Gomes, Beatriz Franchini, Thomas Josue Silva

Resumo


Introdução: O sistema de saúde do país necessita de profissionais de saúde formados com uma visão de integralidade, universalidade e humanização. A disciplina de Introdução às Ciências Sociais vem com o intuito de formar profissionais qualificados a agir de forma integral permitindo que o acadêmico conheça as diferentes realidade sociais vivenciadas pela população, contribuindo para que o discente veja além da doença e de seus pré-conceitos a partir da interação social. Segundo Zioni e Westphal (2007) as Ciências Sociais permitem pensar o nível ou o quadro de saúde de uma população como uma experiência social na qual o que se estuda são as representações, as emoções, a conduta e as maneiras pelas quais os atores se explicam e as explicam. Tem como objetivo ilustrar como a disciplina de Introdução às Ciências Sociais contribui na formação o acadêmico de saúde. Material e Métodos: O presente trabalho é um relato de experiência que se deu durante a realização de um projeto de pesquisa intitulado Etnometodologias em Saúde Coletiva: abordagens e aproximações para a formação integral dos profissionais em saúde. Em que os acadêmicos realizaram saídas de campo ao Lixão Municipal de Uruguaiana para observação, entrevistas e experiências de convivência com um grupo de pessoas em vulnerabilidade social. Resultados e Discussão: A interação com diferentes grupos de vulnerabilidade provoca no estudante uma atitude crítica e reflexiva acerca da complexidade sócio-sanitária. Sendo assim, a saída de campo foi precedida pela reflexão dos acadêmicos sobre suas concepções de saúde-doença e qual seria o cenário por eles encontrado.Durante as atividades observaram-se as vivências, as historias de vida, o processo de trabalho como estratégia de investigar o que é saúde-doença na concepção dos catadores de materiais recicláveis e como isso interfere no ambiente em que estão inseridos.Visualizou-se que a concepção de saúde dos trabalhadores é diferente da preconizada pela organização mundial da saúde em que “saúde é o bem estar físico, mental e social” para eles saúde é apenas ter forças para trabalhar. Em suas falas foram unânimes em referenciar que a condição ambiental não influencia sobre sua saúde.Após reflexão acerca das observações do campo de pesquisa os acadêmicos desenvolveram habilidade de ver o ser humano de for integral, direcionando sua atenção não apenas a doença mas para o sujeito, suas concepções, necessidades e ao ambiente em que está inserido. Conclusões: Compreende-se que, para construir uma visão de integralidade no profissional de saúde é fundamental a interdisciplinaridade na graduação. A partir de uma abordagem crítico-reflexiva e com interação direta dos acadêmicos com o universo pluricultural de grupos sociais diferentes de suas realidades pretendeu-se oferecer uma formação acadêmica profissional mais integral, humanizada e qualificada. Quando esta é alicerçada no ensino, pesquisa e extensão permite a aquisição de competências e habilidades para ampliar a percepção do ser humano na sua subjetividade e implementar assistência adequada a cada realidade social. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


ciências sociais, formação, integralidade

Apontamentos

  • Não há apontamentos.